sábado, janeiro 12, 2013

Muito bom, pra quem quer pensar. Nos créditos iniciais, no minuto 15:30 e na sequência de Buenos Aires (43:50), exemplos de que é possível fazer humor com inteligência sem humilhar quem já é tão humilhado no dia a dia. Que é possível escolher não ficar só repetindo piadas grosseiras com os mesmos preconceitos de séculos, ajudando a manter essas imagens imbecis por ainda mais alguns séculos na nossa sociedade. Só que os Gentillis e Bastos preferem o caminho mais fácil, lógico, talvez pelo seu despreparo intelectual de fazer algo mais elaborado do que isso (que fica claro no filme, principalmente no caso do Gentilli e da maioria dos "humoristas", além da sua plateia, claro!), talvez porque realmente acreditem mesmo no tipo de asneira que falam (parece mais o caso do Bastos). Gentilli diz que sua regra de ouro é falar o que faz as pessoas rir. Ou seja, confessa que se exime da tarefa de pensar. Delega isso ao público (fica de quatro pra ele, como bem dizem no filme). Então não é artista, não é nada, só um bobo da corte. O resumo de tudo está no trecho do minuto 39:59: "não é 'só uma piada', como gostam de dizer. É um insulto também". Arquem com as consequências.

http://www.youtube.com/watch?v=PRQ1LuBWoLg&feature=youtu.be

terça-feira, outubro 09, 2012

Coisa linda da música brasileira. "Espelho", pra mim um dos melhores sambas já feitos, do grande João Nogueira, cantado pelo seu filho Diogo. http://www.youtube.com/watch?v=mNlcKivTW9Y

E aproveitando, pra quem curte João Nogueira, tem também a homenagem que ele fez à Clara Nunes ("Um ser de luz"). Linda interpretação de Mariene de Castro: http://www.youtube.com/watch?v=Jc1IWtvqDMk.
Versão de estúdio, com belas imagens da Clara Nunes: http://www.youtube.com/watch?v=9J1UFsyE-wU

E essa maravilhosa interpretação do Jorge Aragão - "E Lá Vou Eu (Mensageiro)". Isso que é interpretar uma música (e fica claro como João Nogueira tem que sempre estar entre os maiores sambistas da história): http://www.youtube.com/watch?v=kEo4uS-_6dE

Registrando que as composições são parcerias com Paulo Cesar Pinheiro, sendo que "Um ser de luz" é também de Mauro Duarte.

terça-feira, março 06, 2012

Provocado por uma discussão com meu amigo Alex, andei dando uma pesquisada sobre a questão de plágios envolvendo o Tom Jobim. Já muito havia ouvido falar dessas acusações, e sabia que a maioria vinha do famoso crítico (também por odiar a Bossa Nova) José Ramos Tinhorão. Encontrei alguns links, ouvi as músicas, e a conclusão a que cheguei é que isso não faz o menor sentido.

O conceito que ele usa de plágio é assim: fulano ouve uma música, se inspira nas 3 ou 4 primeiras notas dela, ou numa frase, daí faz o seu desenvolvimento. Pronto, pra ele o cara já é picareta. Mas isso é super comum na música popular, não é considerado plágio de forma alguma. Até mesmo na música clássica a gente ouve coincidências de algumas sequências de notas, é normal. Até porque, no sistema tonal, você tem só 7 notas pra combinar (contando as notas fora da escala seriam 12), o que vai acabar levando com certeza a essas coincidências.

Aí ele ainda falou que "As Rosas não Falam" é plágio. Fui ver, e a música é essa aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=VOoKOJCw1EE

O começo é parecido, sim, há as primeiras 8 notas que tem o mesmo perfil melódico. Mas elas nem sequer são iguais (essa música se baseia na quinta, e a do Cartola se baseia na terça da tonalidade). E o resto é totalmente diferente. Sem contar a questão da letra da música. Como se diz tecnicamente, eles usaram apenas o mesmo motivo musical, o que é super comum.

O que acontece é que o Tinhorão não é músico nem compositor, então ele fica lá ouvindo sua imensa coleção de discos e sempre acaba achando as coincidências musicais. E isso pra ele já é plágio, e um prato cheio pra ele procurar desmoralizar aqueles de quem ele não gosta (como o pessoal da Bossa Nova). Só que, por esse conceito que ele usa, TODAS as músicas populares são plágio, então. É só uma questão de procurar bem :-).

Pra terminar, exemplos do que REALMENTE é plágio descarado. E de uma das minhas bandas favoritas! :-)

Led Zeppelin Plagiarism Part 1
http://www.youtube.com/watch?v=JyvLsutfI5M
Led Zeppelin Plagiarism Part 2
http://www.youtube.com/watch?v=zThdTAWQFAQ
Led Zeppelin Plagiarism Part 3
http://www.youtube.com/watch?v=K5uMQDlKn8g

Atualização:
"As Rosas Não Falam" têm sim notas iguais ao começo do La Rosita (tinha só comparado o começo de uma com o começo da outra). Mas é só um compasso, longe de caracterizar um plágio, portanto. Um dos critérios estabelecidos é ter mais do que 4 compassos iguais. Aqui é um caso que na música clássica seria chamado de variação sobre tema. Todo o desenvolvimento da música do Cartola, a letra que compôs, e aquele lindo crescendo do "refrão" começando em acorde diminuto não deixam dúvida da genialidade da composição.

O mesmo pode ser aplicado ao Tom Jobim, com o maestral desenvolvimento e harmonização do "Águas de Março".

Atualização 2:
Gosto muito do Tinhorão, acho ele um grande estudioso e historiador da música brasileira e compartilho com ele a admiração pela música espontânea, do compositor anônimo, do povo. Mas ele radicaliza demais ao tirar todo o valor do compositor mais erudito, que volta sua música para um público de classe média. Sem falar da sua eterna pegação no pé da música norte-americana. Acho que ele mira o inimigo errado: o problema que mata a música espontânea que ele tanto admira não é o compositor classe média, e sim a massificação promovida pela indústria cultural.

segunda-feira, setembro 19, 2011

Alguns detalhes da estrutura do metrô de Roma. Pelo menos melhor do que esse o nosso é...


O local onde ficava o Circo Massimo, o maior estádio da Roma Antiga (cabiam umas 150 mil pessoas!). Quem não se lembra da famosa cena da corrida de bigas no Bem-Hur? Hoje virou apenas um gramado, onde fazem alguns shows, e que também serve de parque. Mas parece que tem muita coisa enterrada ainda por aí, e no futuro novas escavações podem revelar parte da arquibancada!

Maurício com olhar desconfiado perto de testar a Pati na Boca da Verdade.

A tal da boca.

Tomando vinho com grapa. E o fígado indo pro espaço...

Pessoal dançando num festival de tango que achamos do nada, na saída do restaurante.

E assim, Roma é finito...
Mais fotos...

Entrada do Castelo Sant’Angelo, visto do outro lado do Rio Tibre. Esse castelo foi originalmente construído no tempo do Imperador Adriano, no ano 123 DC!!

Vista do Rio Tibre, no alto do castelo.

“Uma refeição sem vinho é como um dia sem sol”.

O preço da sandália. Uma pechincha...

Fontana de Trevi. Lugar maravilhoso. E altamente muvucado, até de madrugada.

domingo, setembro 18, 2011

Pois é, a crise tá braba nos EUA, mesmo... Ao contrário do usual, não vemos quase nenhum americano aqui. É tudo alemão. E, claro, os brasileiros de sempre.

sábado, setembro 17, 2011

Nunca, JAMAIS pensem em sair pra conhecer um país sem um guia da Lonely Planet. São simplesmente perfeitos!

O padrão de qualidade é excelente, e todos os guias que eu testei até agora têm dicas testadas por residentes das cidades. É um diferencial pra muitos guias que a gente vê por aí, que podem ter uma arte espetacular, mas no fim não ajudam a gente no que mais precisamos (lugares bons MESMO pra comer, dormir, etc.).

Aqui em Roma, toda vez que tentamos entrar em restaurantes quaisquer só achamos aqueles "pega-turista", com tarantella ao vivo, mas macarrão duro e sem gosto. Quando fomos nos indicados pelo guia, o resultado era sempre comida de primeira por um preço justo. Por isso indico sem dó!
A Basílica de São Pedro. Não tem como ter uma igreja mais bonita que essa. Olhando por dentro eu fiquei de boca aberta por váaaarios minutos. Não tem foto que descreva a sensação de entrar nesse lugar.

Isso é apenas o teto de uma das salas dos Museus do Vaticano.

Um Café na estação Termini. Não é tão f... assim...

O lindo parque Villa Borghese.

A água tava gelaaada!

Ti e sua Erdinger... Era um pub irlandês, em Roma, e tava tocando Mutantes ("Ela é minha menina").

quinta-feira, setembro 15, 2011

Algumas fotos do passeio pela Roma Antiga, e outras do mesmo dia.

A surpreendente vista do Coliseu, ao sairmos da estação do metrô.

O coliseu por dentro.

Stadium Palatino. Aqui faziam corridas de biga.

Criptopórtico. Um túnel onde, segundo dizem, assassinaram Calígula.

O Foro Romano, centro da vida política da Roma Antiga.

Mais uma vista do Foro. Esse lugar é realmente espetacular...

E agora, uma imagem de como tudo isso seria antigamente.

No Campidoglio, fomos a um Café muito gostoso. Pena que o pombo também achou. Ele fez a festa nos pratos e copos, e os garçons deixam!

Campidoglio. Não sei por que a Patrícia sempre me pede pra eu tirar fotos dela no meio desses caras pelados...

Mais uma das imensas escadarias da cidade. Agora entendemos como eles comem tanta massa e não engordam.

Uma massa deliciosa, com ovos, na Trattoria Monti.

E a sobremesa (que como o guia diz, realmente vale um cartão postal).

Tem uma “igrejinha” ali perto do hotel... Santa Maria di Maggiore.