quarta-feira, março 30, 2005

Maurício quer alugar um ap com alguém ou ir morar sozinho mesmo. Quem se habilita?

segunda-feira, março 28, 2005

Caramba, li "Budapeste", do Chico Buarque, em uma semana, tão bom é o livro. O Chico me surpreendeu, eu que nunca tinha lido nada dele. Escreve muito bem!

E já que tô no embalo, vou agora aproveitar e preencher mais uma imperdoável lacuna em minhas parcas leituras de ficção: "100 anos de solidão". É um absurdo que eu ainda não tenha lido esse livro e tantos outros... :-/

quinta-feira, março 24, 2005

Era pra ir amanhã pra Atibaia, mas não vai rolar... Paciência, pra compensar, tem aqui algumas fotos do ano-novo 2003/2004 (só agora vieram parar na minha mão :-) em Trindade, com Ed e seu povo.

Diretamente do Cachadaço, puta lugar maravilhoso. Isso aí onde a gente tá é mar, dá pra acreditar?


Na cachoeira que tem a "pedra que engole", uma pequena gruta muito legal. Eu sou esse descendo as pedras sem camisa, louco pra tomar um chão


Tocando viola na pousada

quarta-feira, março 23, 2005

Maurício tem uma tendência: quanto menos dor no braço, mais se torna geek. Depois de recuperar o disquete do Alex e baixar o Kurumin gravando um CD pra rodá-lo Live, ele agora quer comprar mais um HD pra poder instalar tudo o que quer no computador. E quer colocar o HD sozinho :-).

Quem diria isso, há meros 5 anos atrás...

segunda-feira, março 21, 2005

Cição tá com Fotolog agora! Algo me diz que esse site vai nos presentear com algumas coisas tenebrosas... Como essa abaixo (já publicada aqui neste blog, clique sobre a foto para acessar o post).



É esperar pra ver. Pra ir até o Fotolog (se tiver coragem), clique aqui.

sexta-feira, março 18, 2005

Olha aqui as fotos de Ilhabela, sem os borrachudos!

Mauricio relaxando na água. Ê, vida boa...


Essas são as minhas pernas


A maravilhosa Ilha das Cabras


Pati vendo o pôr-do-sol na frente da Ilha


Mauricinho e Patricinha curtindo a balada de playboy na Praia do Curral
A Natália, do BBB, fez cirurgia pra corrigir as orelhas de abano. Até aí, foda-se. O engraçado é o seguinte parágrafo do site Fuxico:

"A bela ganhou a operação graças a sua participação no reality show. O Dr. Vitor Duaribe se comoveu com as cenas da cearense, sempre escondendo suas orelhas."

Hahahahahahaha
Fala sério! Se comoveu???? Que cara bonzinho! Agora quero saber quanto ele pagou pro site divulgar isso, ou então quem foi o padre samaritano que escreveu essa notícia...

quarta-feira, março 16, 2005

E começa mais uma novela das 8, ou das 9, sei lá. Mais uma "superbregaprodução" da dupla Jayme Monjardim (direção) e Marcus Viana (trilha). Os caras são responsáveis por Pantanal, O Clone, Casa das Sete Mulheres, etc., todas com a mesma cara, a mesma grandiloquência ridícula, a mesma trilha sonora de violino e tecladinho de churrascaria que já deu no saco. E, claro, sempre tem a indefectível canção do Viana (a última pérola com que ele nos brindou foi aquela "Somente por amor/A gente põe a mão.../E a vida se refaz...").

A Glória Perez até é legal, com os temas polêmicos e tal, mas essa dupla é demais de ruim... Podia juntar os dois mais o Benedito Ruy Barbosa e mandar todos de volta pro Pantanal ficar morando com o Velho do Rio...
Pronto, de volta de Ilhabela. E foi o máximo. Eu já conhecia, sabia que era bonito, mas dessa vez parece que foi melhor, dada a minha companhia e os passeios, especialmente para as praias de Pacuíba e Jabaquara (quase impossível relacionar esse nome com uma praia paradisíaca, não?? :-)

O ponto ruim foram as váarias picadas de borrachudo, que ficam coçando por dias. Foi o segundo maior ataque desses bichos que eu já levei na vida, só perdendo pra Trindade em 96. E a gente até tinha levado repelente, mas sempre esquecia no hotel...

E, claro, como todas as vezes em que dirigi na estrada, tive que ser parado pela polícia. Mas dessa vez não rolou multa nem nada, foi só uma parada de rotina. Ainda bem...

sexta-feira, março 11, 2005

Malas prontas pra Ilhabela! Quanto tempo eu não dirijo em estrada, espero que saia tudo direitinho...

quarta-feira, março 09, 2005

Hahahahahaha
Olha só o primeiro parágrafo da nota oficial do Chorão sobre o acidente! Acho que foi ele mesmo quem escreveu, que lixo!

"Na noite de domingo, por volta das 22:00, Chorão vinha transitando com seu veículo na rua Lowndes, no cruzamento com rua Campos Melo, em Santos, onde não havia farol, ao contrário do que foi dito na mídia que ele havia avaçado o farol vermelho, em uma rua com falta de iluminação no cruzamento. Quando veio outro veículo em alta velocidade e colidiu com o carro do Chorão levando o carro até calçada aonde havia 3 adolescentes que foram pegos de surpresa, mas graças a deus não houveram maiores conseqüências".

Caralho! Eu sabia que esse cara era idiota, mas não tanto...
Divertido ficar dando aula de Firefox pra Dani... Isso faz eu escrever esse post com um tema ridículo cheio de gatinhos. Mas que eu acabo de desinstalar. :-)

segunda-feira, março 07, 2005

domingo, março 06, 2005

Pô, fiquei frustrado. A música da Bjork que eu achava que tinha a interpretação mais fenomenal dela, "It's Oh So Quiet", na verdade foi gravada igualzinha à versão original, cantanda na década de 40 por uma tal de Betty Hutton. Eu baixei essa música e vi que tudo, cada gritinho e trejeito da Bjork, foi criado nessa gravação.

Mas achei também uma outra coisa curiosa. Aquele vídeo lindo e esquisito dela, Pagan Poetry, traz cenas dela transando com o namorado, manipuladas digitalmente! Dava pra perceber que tinha umas cenas de sexo no meio daqueles efeitos, mas que era a maluca lá eu não sabia! Eu vi essa informação do próprio diretor. Ele deu uma mini-DV pra ela fazer as imagens em casa. E parece que a doida queria mesmo é que o diretor fosse lá na casa dela gravar. Vish...

sexta-feira, março 04, 2005

Gente!! Eu descobri o que pega!
Eu simplesmente não gosto de música!!!!

"Música pra dançar", melhor dizendo...
É que eu descobri que o problema não é que o axé é ruim. É que ele é música pra dançar e só, e eu não gosto de nenhuma música que é pra dançar e só.

Música pode ser feita pra diversas funções: pra dançar, pra ouvir, pra dormir, pra conversar, pra cinema, pra teatro, pra namorar, pra rir, etc., etc. E eu adoro todas, menos as músicas feitas exclusivamente pra dançar. Porque eu nunca vi nenhuma graça em dançar. Eu até gosto de músicas com funções híbridas, como músicas que servem tanto pra dançar como pra ouvir (é o caso de uma Paperback Writer, dos Beatles, ou Tim Maia Racional). Mas se for só pra dançar, como esses axés de merda, aí não tem jeito.

E olha que eu já tentei muito aprender a gostar de uma pista de dança, mas não rola. Pelo menos agora, que eu descobri o motivo de todo o meu ódio contra essas músicas, eu me sinto mais aliviado. Já não quero mais matar a Ivete Sangalo :-).

quarta-feira, março 02, 2005

E nossa amiga Dani acaba de voltar de sua temporada de Carnaval em Salvador. Claro que ela pegou uma virose lá (acho que todo mundo que faz isso acaba ficando doente, naquele ambiente horrível).
Cara, esse é a última balada do mundo em que eu pretendo pisar. Prefiro ficar os quatro dias parado na frente de um quartel americano em Bagdá do que em Salvador, durante o Carnaval.