segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Finalmente a tão esperada foto. Pena que saiu tremida, mas é um registro histórico:

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Na real, pensando bem, não é verdade que eu seja ainda anti-capitalista, como disse dois posts abaixo. Outro dia saiu uma manchete na Trip dizendo algo do tipo "Porque o capitalismo está acabando com a humanidade". Eu não concordo mais com afirmações como essas. Afinal, é a humanidade que criou o capitalismo. Logo, é ela que está acabando consigo mesma.

O capitalismo é a forma de organização social-econômica mais natural que pudemos criar, e, como não poderia deixar de ser, reflete nossos inúmeros defeitos, mas também nossas qualidades. É inviável querer criar um novo sistema de organização que seja perfeito se antes não muda o próprio ser humano. Isso até o Che Guevara reconhecia.

Portanto, não sou anti-capitalista. A culpa não é "do sistema"... É da nossa natureza. Hoje reconheço isso e busco me inserir no contexto em que enxergo virtudes dentro do sistema que temos. Acho que é o mínimo que posso fazer.

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Caralho, que show foi aquele do U2 ontem!! Eu, que sempre fui cético quanto a pagar 200 paus pra ver um show, cheguei à conclusão de que pra ver aquilo dá pra pagar essa grana tranquilo!

O Bono tava muito bem, cantando muito, parece que em transe, se comunicando o tempo todo com a galera (e pode-se dizer que ele falou 50% em português :-). A concepção toda do show é muito bem feita, com as músicas se suscedendo e criando um sentido completo, pra finalizar naquele coro clássico "How loooooong... Sing thiiiis sooong..."

Foda, foda mesmo... Queria estar lá.

E àqueles que acham o Bono chato por falar sempre em paz, pobreza, etc: sim, ele é chato. Sim, ele é ultra egocêntrico. Mas é melhor ser chato de levantar essas bandeiras e fazer milhões de pessoas se preocuparem com temas importantes do que ser mais um mega-astro vazio a estimular a cultura alienada da nossa geração. E eu concordo com tudo o que as músicas dele falam.

Aliás, que músicas, hein... "Where the streets have no name", "Miss Sarajevo", "One", "Sunday Bloody Sunday", "Misterious Ways", "With or Without You", "I Still Haven't Found What I'm Looking For", "The Fly", "Elevation", "Vertigo", VAI ESCREVER BEM LETRA E MÚSICA ASSIM NA PUTA QUE TE PARIU!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Tô aqui pensando. É impressionante como eu tô mudado, de 2000 pra cá. Eu era um anti-capitalista, e como qualquer anti-capitalista, tendia a ter problemas pra me dar bem na vida. Chegava ao ponto de boicotar o trabalho, e não dava o menor valor a ele. Meu foco era totalmente outro, e eu não posso dizer que ele tava me levando prum bom caminho.

Um exemplo é este post aí abaixo. Em 2000, se eu fosse em um evento desses, ia sair depois de meia hora, xingando em pensamento todos os executivos ali presentes. Ficaria o dia inteiro pensando na favela ali do lado do WTC, com pessoas bebendo água do córrego enquanto nós íamos tranquilos para o nosso Cofee Break.

Hoje, passados 6 anos, alguns tombos gigantes me fizeram repensar os conceitos. Posso até ser anti-capitalista (mesmo sem nenhuma alternativa pela qual ser "pró"), mas faço questão de disfaçar bem :-). Meu trabalho é o foco número 1, e eu realmente resolvi que aquelas coisas às quais eu dava tanto valor podem muito bem (e merecem) ficar em segundo plano.

O resultado é que eu me sinto bem mais feliz desse jeito, e parece que eu posso continuar indo numa boa assim pelas próximas décadas de vida. O que significa que a estratégia deu certo. É só tomar cuidado pra não exagerar na dose...

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Hoje passei o dia na Microsoft (e o farei novamente amanhã) para o evento de preparação para o lançamento do Office 12. Alguns comentários:

- Como aprendi em 10 horas!! Muita coisa sobre SharePoint, Content Management, Exchange, Groove, Communicator, InfoPath, etc., etc.!
- O nível do negócio tava alto demais... todo mundo ultra esclarecido sobre o que estava sendo discutido e muito articulado pra falar. Deu até um sentimento de inferioridade.
- A vista no 31° andar do WTC Nações Unidas é maravilhosa. De lá, bem de longe, até as favelas são bonitas
- O Cofee Break foi o melhor de todos os tempos. E por sorte teve dois. Nem precisei almoçar.
- Fiquei contente: não precisei de fone de tradução em nenhum momento. Mesmo com um maluco que desandou a falar mais rápido que narrador de jogo de futebol no rádio. Tudo bem que perdia algumas frases, mas deu pra pegar bem.
- Coitadas das meninas da tradução simultânea: tiveram que traduzir 4 horas de fala desse cara, sem parar. Peguei elas no elevador comentando que estavam exaustas. Imagino. Esse cara pode ser muito bom, mas não tem um pingo de consideração.

Agora é descansar porque amanhã tem mais!
Já souberam da nova regra que inventaram no futebol? A partir de agora, em jogos do Corinthians, o adversário não pode terminar com 11 em campo. A regra é clara, claríssima, diria Arnaldo César Coelho.

Tá louco, como o povo perde tempo torcendo pra essa merda...

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Caramba, o novo Office tá muito bonito e diferente! Levei um susto quando abri o Word! Cliquem nas figuras abaixo (especialmente a segunda) pra ver:





Tô tendo o privilégio de testar o negócio aqui, e tá realmente incrível. Podem ir se acostumando com o fim dos menus Editar, Exibir, Ferramentas. Agora é tudo Escrever, Layout da página, Referências, Mala Direta... E as barras de ferramentas vão mudando, dependendo do menu escolhido.

A melhor coisa desse Office, pra mim, é a pré-visualização. Praticamente todas as opções podem ser pré-visualizadas, passando o mouse por cima. Isso é muito legal pra escolher uma fonte no Word, um template de gráfico no Excel, etc.

Agora chega, deixa eu continuar brincando aqui...
De todas as novas tarefas que me competem agora, que moro sozinho, a pior com certeza é cuidar da roupa. Esfregar, lavar, passar, putz que treco chato!!
Felizmente tem a moça que me ajuda, e que trabalha com a minha família desde antes de eu nascer! Ela em geral passa, e eu lavo. Mas tá louco, é muito irritante.

Tudo bem que, por algum motivo estranho, roupa sempre foi uma das coisas que eu mais negligencio na vida. Nunca compro (vivo só de doações), uso e jogo pela casa, não dobro... Existe algo de estranho na minha relação com roupas, eu as odeio. Tô achando que é melhor desistir delas e viver pelado mesmo.

De resto, tudo OK. Cozinhar tem sido legal, e eu já aprendi várias coisas de verdadeiros "mestres", como a mãe da Pati e seu feijão maravilhoso.

Enfim, morar só anda sendo melhor do que eu esperava. Decididamente, eu levo jeito pra "dono de casa".

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Droga, em menos de um mês morando aqui, já é a segunda chamada que eu levo. Depois dos acontecimentos da Festa no Apê, agora são as batidinhas que eu ando dando sem perceber no meu vizinho de vaga, com a porta do carro. E acontece de esse vizinho de vaga ser o meu cunhado!

Merda, é bom pra eu me tocar. Isso que dá ser um puta de um desligado!!!

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Socorro!! Tô com medo de ficar maluco! De virar nerd com tanto código na cabeça!!!

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Pobre Juscelino

Estava vendo o Canal Livre, da Bandeirantes, no último domingo. O entrevistado era o historiador Ronaldo Costa Couto, que escreveu uma biografia sobre Juscelino Kubitschek. A um dado momento, há a pergunta:

- Juscelino morreu rico ou pobre?

O "historiador":
- Não morreu pobre (com um ar insinuando que foi quase isso). Juscelino morreu como um homem de classe média para classe média alta, e uma renda totalmente compatível com sua carreira de médico e político de sucesso.

Acho que foi o jornalista Fernando Mitre que interrompeu de pronto:

- Vamos esclarecer ao telespectador. Juscelino deixou um patrimônio de R$ 20 milhões. Não é isso??

Constrangimento total. Ronaldo Costa Couto, cala, e depois de um instante, consente:

- Sim, é isso.

Caramba, então falta muito ainda pra eu entrar na classe média...
"Que biógrafo mentiroso", estranhei. Depois descobri que ele é também político e ex-Ministro de Estado. Então tá explicado...
Tô aqui lendo o Gabinete de Bolso da Soninha, que peguei na balada de sábado. Taí um dos melhores votos que eu acho que já dei. A gente tem que renovar essa merda de política, e pra isso nada melhor que uma menina dessas, com tanta energia e inteligência! Me identifico muito com as idéias dela:


"A maior conquista, no sentido de persuasão, foi o anúncio da construção de cinco novos CEUs. Eu posso apostar que ninguém "atormentou" mais o prefeito do que eu - mas atormentei à minha moda, com mil textos, dados, notícias, argumentos intermináveis... Ele realmente tinha dúvidas sobre a conveniência de se investir na construção desses Centros (como muitos na sociedade que - aposto! - na verdade nunca estiveram em um CEU e não são capazes de avaliar o tamanho do impacto positivo que eles produzem nos arredores e na vida daquelas pessoas para sempre), e se convenceu de que o benefício é muito maior do que o custo. Por isso, cada vez que sai um editorial como o do Estão (dizendo, grosso modo, que "não é disso que os pobres precisam"), dói em mim, pessoalmente. Falar é tão fácil... Parece que os pobres precisam de carteira, lousa e giz; que educação pra eles tem de ser só isso, enquanto nossos filhos podem usufruir de um milhão de outras experiências (cinema, teatro, esportes, viagens...) que inegavelmente enriquecem a formação de qualquer um."

E outra coisa legal: ela não se furta a comentar a corrupção no PT, cobrando uma mudança no partido. Coisa que dificilmente faz ou pode fazer um político profissional, com décadas de mandato legislativo nas costas.
A França (tinha que ser) pode se tornar o primeiro país do mundo a legalizar o P2P (troca de arquivos, incluindo todo tipo de música e filme) pela Internet. A idéia é instituir uma taxa a ser paga pelos provedores aos detentores dos direitos autorais.

Como eu disse aqui há algum tempo, é exatamente isso o que tem que ser feito! Pagamento aos artistas pelo acesso à Internet. Adaptação de leis arcaicas às novas realidades tecnológicas. Com certeza algo muito mais eficiente do que tratar 60 milhões de americanos como criminosos e tapar os olhos para o fato de que o mundo mudou.

E aí, os consumidores que escolham: podem querer usar um serviço que paga por música baixada, como o iTunes, ou um então um em que baixa à vontade (pagando o provedor por isso) como o eMule. Simples...
O que acontece com o grupo Pão de Açucar que os caras adoram se meter em confusão?? E quando esses caras vão ser punidos pra aprenderem a ter mais responsabilidade???

Se depender da Justiça brasileira, com a força do seu Abílio, podemos esperar sentados.

sábado, fevereiro 04, 2006

Este fim de semana vou ficar na casa dos meus pais, porque todo mundo foi viajar e não queria deixar meu pai sozinho.

É chato, também não tava a fim de interromper minha adaptação na casa nova pra voltar pra cá, mas fazer o quê, se é necessário... Só que é bem estranho voltar, já tava me acostumando.

E por falar no Apê, agora ele já tá realmente pronto, com o escritoriozinho montado. A mesa chegou e eu fiquei contente porque deu certo bem como eu queria: uma bancada bem grande pra eu colocar meu monte de aparelhos em cima e gabinete no chão, liberando espaço pra eu colocar CDs e outras bugigangas na estante feita para ele. Agora, sim, dá pra trabalhar à vontade! A Pati tirou umas fotos, vou ver se dá pra colocar aqui.