quarta-feira, junho 28, 2006

Brasil e França é um grande clássico, com vários craques dos dois lados, por isso é impossível afirmar quem vai ganhar. Porém, em situações normais de temperatura e pressão, com aquela derrota em 98 entalada na garganta, e com a fase meia-bomba dos franceses, vai ser muito difícil eles passarem pela gente.

Para mim, as semifinais serão: Brasil x Portugal; Alemanha x Itália.

Nesse caso, melhor pra mim: já teria time garantido pra torcer na final (o vencedor do primeiro combate).

sexta-feira, junho 23, 2006

Mais uma enviada pela Ragazza... :-)
Lembrando que essas fotos e um monte de outras podem ser vistas no Flickr.

O Brasil melhorou bastante, mas o Japão tá longe de ser uma das maiores dificuldades que podemos ter.

Hoje, já dá pra saber um pouco do que nos espera: nas Oitavas é Gana, nas Quartas é Espanha ou França (mais chances para a primeira), semifinal possivelmente contra Inglaterra ou Portugal. Nosso inimigo maior, porém, é o excesso de confiança, especialmente contra esses perigosos africanos, que têm um excelente time. Já vi jogadores brasileiros falando que gostaram de pegar Gana. Esse é o tipo de coisa que pode nos complicar. Tenho um pouco de receio deste jogo.

Mas, se der a lógica, chegaríamos à final, onde teríamos um adversário bem mais forte, especialmente se forem os donos da casa, reeditando 2002. A torcida deve ser, mais do que nunca, para os alemães se acidentarem pelo caminho. Aí, sim, teremos as chances de sermos Hexa bastante aumentadas.

quarta-feira, junho 21, 2006

Portugal, 3 jogos, 3 vitórias (mesmo com time misto no último), coisa que não fazia desde 1966, com o grande time de Eusébio.
Felipão, 10 jogos em Copas do Mundo, 10 vitórias. Pra mim, o melhor treinador brasileiro disparado, muito melhor que Parreira e Luxemburgo.

Tudo bem, dificilmente ganhará a Copa, mas Portugal realmente mostra ser a grande surpresa que eu esperava.

Já os favoritos continuam sendo Alemanha e Argentina, com minhas fichas recaindo mais sobre a primeira (que o Casagrande continua a chamar de "timinho que não vai chegar a lugar algum". Esse cara é meio sem-noção. Se fosse o Corinthians seria "time aguerrido que, com a força de sua torcida, pode sim ser campeão"...).

E o Brasil, do jeito que tá, vai correndo por fora mesmo. Porque, na indecisão entre a vocação ofensiva dos seus jogadores e o pragmatismo do Parreira, está resultando num time muito apático, para querer vencer a força argentina ou dos donos da casa.
Fotos do aniversário:

Cícero e Grandjean. Este último parece que tá catando Sabiá Morcego


Bela Ragazza


Conversa de bar


Casalzinho florido...


Um dos bêbados da noite

sábado, junho 17, 2006

Olha, até que foi legal o meu aniversário... Nem esperava tanto, já que ando trabalhando pra caramba e nem tive tempo de pensar em nada. Além disso, ando meio triste porque muitos amigos estão meio afastados. Não sei bem porque isso tá acontecendo, não sei se é mais por minha causa, ou por causa deles.

É engraçado como eu fico encanado com essas coisas. De qualquer forma, alguns deles me ligaram no dia para dar parabéns, outros até apareceram no Drosophyla, outros mandaram e-mail, então no fim acho que é mais fase, mesmo. Não gosto nada nada de perder amigos. Especialmente aqueles que são os que eu mais considero.

quinta-feira, junho 15, 2006

Até agora, dá pra dividir as grandes seleções em dois grandes grupos. Os que estão jogando pelada: Brasil, França, Inglaterra.

E os que estão correndo atrás da bola como se fosse um prato de comida: Alemanha (especialmente), Argentina, Espanha, Itália.

Essa é a Copa do vigor físico. Se os times do primeiro grupo continuarem andando em campo, não ganham (como diz o Carlão) NEM... Fodendo!

E o Ronaldo, com os problemas claramente emocionais dele (não tá aguentando a pressão de novo) tem que sair. O próximo jogo deve ser a última chance. Se sentir "tonturas" ou ficar parado de novo, tem que dar lugar pro Robinho.

Sei não, essa Copa tá com um cheiro de 98...

quarta-feira, junho 14, 2006

O Ronaldo tá de sacanagem... Praticamente só andou em campo ontem! Se ele e o Adriano repetirem essas atuações, o Brasil não consegue nada. Tem que jogar 50 vezes mais do que ontem pra ganhar da Alemanha, nesse Mundial.

sexta-feira, junho 09, 2006

A Alemanha vem forte, tô falando... No primeiro jogo mostrou muita força, raça, alguma habilidade, chutes de longa distância e marcação sob pressão. Ponto negativo, apenas a fragilidade da zaga. Cuidado com ela!!
O bicho tá pegando... Essa semana trabalhei 14 horas por dia, em média. Deu pra ver pelos erros nas contas do último post, que eu tive que corrigir. E nas próximas duas será assim também, com muuuito trampo. Espero poder dar uma boa descansada depois disso!!

terça-feira, junho 06, 2006

Entra em campo o Ouvido na Copa!!!

A fase bolsa de apostas é sem dúvida uma das mais legais das Copas. Você vê lá uma série de times fantásticos e de grande tradição vivendo uma expectativa tremenda, com problemas de contusões, técnicos, de relacionamento, ou simplesmente voando baixo, e assiste a um festival de opiniões premonitórias, algumas com sentido, outras verdadeiras abobrinhas.

Nesse contexto, ninguém resiste a fazer também sua previsão. E é exatamente o que farei aqui. Para começar, listemos aqueles que são apontados pela maioria como favoritos:

- Brasil
- Argentina
- Alemanha
- Inglaterra
- França
- Itália

Uma constatação: trata-se de uma lista óbvia demais, retirada de enciclopédias do futebol, onde se pode encontrar a relação dos campeões mundiais. Só faltava botar aí o Uruguai, o que também ia ser demais, dado o fato que a Celeste não está disputando o torneio.
O fato é que assim é muito fácil apontar favoritos. Basta dizer o nome dos campeões e pronto... Sabe-se, por outro lado, que é muito difícil um time entrar nessa tão cobiçada lista. As três últimas vezes que um time que não tinha sido ainda campeão levantou a taça foram:

- França (1998)
- Argentina (1978)
- Inglaterra (1966)

Vê-se, portanto, que é algo que acontece de muito em muito tempo. Mas pode estar mais ou menos na hora de acontecer de novo...

Esquecendo esta matemática, vamos friamente observar os grandes times, ponderando a tradição, mais a qualidade, mais a força tática, mais o fator torcida, etc., etc. Pegando a primeira lista, temos:

Itália
Um time com uma geração fraca de jogadores, que não vem suficientemente embalado e não tem demonstrado confiança nos últimos anos. Não colocaria entre os favoritos, mesmo com toda a sua força tática defensiva.

França
Uma geração de jogadores se dirigindo ao fim da carreira, resultados recentes pouco convincentes e uma certa fraqueza tática. Não parece dessa vez que a França ganharia sua primeira Copa fora de casa.

Inglaterra
Boa geração de craques, sem dúvida, mas um técnico relativamente fraco, um padrão de jogo que não se define muito bem entre ataque e defesa, resultados medíocres nas eliminatórias e um país que não sente muita confiança no próprio esporte que inventou. Também não sinto que ganhará sua primeira Copa fora de casa.

Alemanha
Está em frangalhos. Tem um técnico maluco e inexperiente. Mas é a Alemanha. Houve até hoje 9 Copas na Europa. Ela chegou à final em 5 delas, vencendo 3, sempre com times inferiores aos seus adversários (venceu a Hungria de Puskas em 54, a Laranja Mecânica em 74 e a Argentina de Maradona em 90). É uma especialista em Copas em seu continente, especialmente em casa, onde ganhou em 74. Para mim, é um time que, mesmo fraquíssimo, pode sim ganhar, em se tratando de um esporte em que nem sempre o melhor vence.

Argentina
É o vice-campeão antecipado no quesito “país que produz os melhores boleiros do mundo”. Tem à disposição uma geração excepcional. É um time de garra inigualável e admirável. E está mais mordido do que nunca, especialmente com a seleção brasileira. Temos que tomar muito cuidado com ela, que para mim é sim uma das grandes favoritas. O único ponto contra é que a Argentina em geral não consegue repetir em Copas seu absurdo desempenho em torneios continentais.

Brasil
Sem dúvida o país com os melhores jogadores do mundo na atualidade, disparado. Mas isso não é sinônimo de vitória. O Brasil tem um ponto negativo que pode fazer diferença nesta Copa: o favoritismo. Copa do mundo é um campeonato ultra-nivelado em que a força de vontade, de superação, e a força tática muitas vezes acabam falando mais alto. Mais uma vez, estatísticas:

1974
Holanda e Brasil favoritos; Alemanha campeã
1978
Holanda e Brasil favoritos; Argentina campeã
1982
Brasil favorito; Itália campeã
1986
Argentina favorita e campeã
1990
Argentina favorita; Alemanha campeã
1994
Argentina favorita; Brasil campeão
1998
Brasil favorito; França campeã
2002
Argentina favorita; Brasil campeão

Deu pra sacar, não? Só em 1986, das 8 últimas edições, o favorito venceu. Em 2002, ninguém acreditava no Brasil, só se falava em Argentina, mas nós vencemos com a garra passada pelo Felipão, e a Argentina ficou na primeira fase. Agora, a situação parece estar invertida.
Mas dá pra sermos como a Argentina de 1986, ou o próprio Brasil de 1962, favoritos e campeões. Basta conseguirmos jogar com muita garra e com o equilíbrio defensivo necessário. Para mim, o Brasil tem grandes chances, mas terá que jogar muito como sempre pra vencer a Copa novamente, mesmo tendo os melhore jogadores.

O azarão
Minha lista então ficaria com Alemanha, Argentina e Brasil. Mas há um penetra aí: Portugal. Eles foram finalistas da Eurocopa, têm jogado muito, estão quebrando vários recordes pessoais e contam com um técnico excepcional, o atual campeão Luiz Felipe Scolari. Como eu disse em 2002, ele sabe montar um time aguerrido como ninguém. Portugal já está muito diferente. E quem não se cuidar com eles, vai dançar. Para mim, é o quarto favorito, correndo por fora.

Quem viver verá...

segunda-feira, junho 05, 2006

2002 foi o primeiro ano desse blog, e também ano de Copa do Mundo. Daí eu fiz o Ouvido na Copa, que acompanhava cada jogo do Brasil, comentava quais jogadores tinham sido os melhores e piores e tal.

Esse ano vai ser bem difícil repetir a dose (já que o trampo anda me consumindo por demais), mas vou tentar. Até porque, tô vendo que é muito legal lembrar daqueles momentos todos relendo os posts. Decididamente, foi um ano maluco, aquele.

sexta-feira, junho 02, 2006

E tá à venda, finalmente, 1 ano após ser finalizado, meu terceiro livrinho, aquele sobre Word. Agora a família é Outlook Pro Kit, Word Pro Kit e Migrando para o VB.NET (este em parceria com Edson Silva). Fiquei contente, porque realmente acho que este ficou bem legal! Aprendi muito fazendo...

E tá quase na mão também o quarto, Visual Studio 2005 Web Developer Kit, feito junto com Ricardo Barros e Jacques Zetune, casca grossa pra caramba!

quinta-feira, junho 01, 2006

Não dizem pra você não traçar objetivos além das suas possibilidades? Pois bem, eu tentei pensar assim neste ano sobre o Palmeiras, mas não tá dando certo. Parece que os dois objetivos que eu mentalizei (1-Não ser desclassificado por rival na Libertadores, 2-Não ser rebaixado no Brasileiro) não vão ser alcançados... :-)