sexta-feira, maio 30, 2008

É, minha gente, tentei, mas acho que não dá! Durou só 3 dias minha tentativa de ver quanto tempo conseguia ficar sem comer carne!! Hahahaha... Que fraco...

Já achava isso, e hoje tenho mais certeza: esse negócio de ser vegetariano ou carnívoro é meio que uma tendência natural de cada um. Fica complicado mudar. Na verdade, acho que eu conseguiria se tivesse alguém que cozinhasse pra mim todo dia um prato diferente, cheio de molhos e temperos gostosos. Como não tenho tempo pra cozinhar, e vivo comendo comida repetida em casa, acaba ficando inviável.

A experiência, mesmo assim, foi bem válida, porque me mostrou que o certo é procurar saber mais sobre o assunto. Afinal, até agora, estou fazendo tudo muito de orelhada, por emoção, e não como um bom jornalista deveria fazer. No fundo, não sei (e não sei quem sabe) até que ponto os animais são mesmo mal-tratados por esse país afora, e se a porcentagem dos locais em que isso ocorre é grande mesmo. Até porque, há muitas leis no Brasil que proíbem crueldade contra animais (mas aí temos o fato de que leis, no Brasil, às vezes não costumam "pegar" muito...).

Enfim, ainda tenho minhas dúvidas. Ir atrás de informação é o único caminho. Qualquer novidade, volto a postar sobre isso.

quarta-feira, maio 28, 2008

Finalmente, lançamos o Cidadão Sustentável.

Trata-se de um site simples, de uma idéia igualmente simples, mas que pode ter um impacto muito grande, especialmente na consciência e educação ambiental das pessoas.

O objetivo inicial é modesto: cadastrar mil pessoas. Cada uma delas escolhe no mínimo uma Ação Sustentável, representando um pequeno impacto na emissão de CO2 dessa pessoa. O mais importante é fazê-la pensar sobre o impacto que causam suas pequenas ações cotidianas.

Além disso, ela convida 2 amigos, no mínimo, fazendo a corrente seguir em frente. Aí sim, o impacto começa a crescer. Atualmente, com poucas semanas de vida, o movimento já calcula uma redução de 2 toneladas de CO2/mês na atmosfera. Tudo com pequenas ações de um punhado de pessoas.

Agora, é trabalhar para que ele continue crescendo e melhorando. Nunca saberemos o tamanho do resultado obtido. Afinal, depois de conscientizar uma única pessoa, já não temos controle sobre as ações futuras que ela poderá realizar. E é nisso que apostamos, nessa corrente de conscientização, que já vem mudando muita coisa no mundo, nos últimos tempos.

PS: já sou bisavô no site!! As pessoas que entram vão se agrupando em famílias. Portanto, se você entrou convidado por mim, não deixe de convidar pessoas para fazer nossa família crescer. Quero mais netinhos!!!

sábado, maio 24, 2008

Já faz tempo que eu estou querendo fazer isso, mas agora vou tentar pra valer: parar de comer carne vermelha e de frango.

Vai ser muito difícil, então vou usar os seguintes passos, pra fazer a coisa aos poucos.

Passo 1 - Passar a comprar ovos apenas na Korin (indicação da Kika). Lá parece que tem também laticínios de pecuária orgânica da Nata da Serra, que eu pretendo também comprar.

Passo 2 - Comprar carne de soja e tentar aprender algumas receitas

Passo 3 - Fazer uma consulta no nutricionista, pra ver como ficaria a dieta

Passo 4 - Ensinar as receitas que eu aprender pra Mari

Passo 5 - Parar definitivamente de comer carne vermelha e de frango

Como eu disse, vai ser complicado, porque é algo de que eu gosto muito. Mas, se der certo, vai valer muito a pena...

sexta-feira, maio 23, 2008

“We need another and a wiser and perhaps a more mystical concept of animals. Remote from universal nature, and living by complicated artifice, man in civilization surveys the creature through the glass of his knowledge and sees thereby a feather magnified and the whole image in distortion. We patronize them for their incompleteness, for their tragic fate of having taken form so far below ourselves. And therein we err, and greatly err. For the animal shall not be measured by man. In a world older and more complete than ours they move finished and complete, gifted with extensions of the senses we have lost or never attained, living by voices we shall never hear. They are not brethren, they are not underlings; they are other nations caught with ourselves in the net of life and time, fellow prisoners of the splendour and travail of the earth.”

Henry Beston, "The Outermost House".
Realmente incrível este documentário sobre o consumo de carne.

Não sou vegetariano, mas acho que vale mesmo a pena o investimento de 50 minutos (duração dos vídeos), para começarmos a pensar em alternativas e possíveis soluções.

Não é possível dizer-se "humano" e não parar pra pensar à respeito.

Parte 01 – 30 minutos
http://www.youtube.com/watch?v=EghRqeZA-TU

Parte 02 – 20 minutos
http://www.youtube.com/watch?v=SKz6sgnUgdg&NR=1

quinta-feira, maio 22, 2008

Uma dica de site incrível, sobre o assunto Sustentabilidade: calcula o seu footprint, comparando com a média do seu país, e informando quantas Terras seriam necessárias se todos vivessem com seu padrão de vida.

www.myfootprint.org

Dados interessante que notei:

- Países como o Brasil, em média, têm resultado de 0,82 planeta (ou seja, se todos vivessem como a média brasileira, não precisaríamos de mais do que um planeta)

- Já se todos vivessem como os americanos, precisaríamos de 6,35 planetas!

- O meu resultado: 1,11 planetas. O que mostra que o problema não é tanto o “footprint de ricos VS. footprint de pobres”. Se eu estou na classe média, e tenho este resultado, seria possível também os americanos o alcançarem. Também mostra que eu ainda tenho lição de casa para fazer... (e o site, no final da avaliação, dá dicas para alcançar um melhor resultado)

O site tem ainda muitos gráficos, tabelas e informações.

Divirtam-se!
Fluminense x São Paulo, Manchester x Chelsea

Tá explicado porque o futebol, mesmo com tantas falcatruas, é o esporte mais apaixonante do mundo.

E o quarteto Londres/Paris/Roma/Berlim continua sem o título europeu...

quarta-feira, maio 21, 2008

Não sei até que ponto dá pra confiar nesses números, mas dizem que a final européia de clubes, hoje, entre Manchester e Chelsea, movimentará 260 milhões de euros, mais grana que o Superbowl. Se tornará, assim, a partida mais lucrativa da história do futebol. Desse jeito, quem vai parar os clubes ingleses??
Sexta-feira passada, depois de longos anos, assisti a um show de chorinho e samba de raiz com uma banda muito legal (um dos músicos é primo da Kika). Chama-se "Trio Gato com Fome". Me lembrei de quanto eu gosto da música brasileira, o quanto ela é rica, criativa e divertida. Ou o quanto foi... Porque hoje em dia parece que tudo isso está se perdendo, com a aceitação em massa da música mais banal produzida no país e fora dele.

Não importa. Se hoje a música brasileira está ficando tão ruim, sempre poderemos, mesmo que de tempos em tempos, ouvir as coisas maravilhosas que ela produziu no passado, graças a grupos como esse. Ouvir Pixinguinha, Cartola, Noel e tantos outros é revigorante. Como é boa a Música Popular Brasileira!

sexta-feira, maio 16, 2008

Preciso urgentemente rever o meu elevator speech...
Poderia haver um curso "Como ser um generalista em um mundo cada vez mais segmentado". Eu seria o primeiro a me inscrever...

quinta-feira, maio 15, 2008

A Inglaterra volta a sofrer com os hooligans. Sinal de que não podem se acomodar com o bom sistema que montaram. Esse pessoal está sempre à espreita da primeira oportunidade pra voltar a agir.

quarta-feira, maio 14, 2008

A saída a Marina Silva do Ministério do Meio-Ambiente era só uma questão de tempo, disso todo mundo sabia. E o porquê também é simples: o Brasil de hoje vive um anseio por crescimento, uma busca por aproveitar as novas oportunidades, chegar enfim a ser o tal "País do Futuro". Se formos perguntar, este é o desejo da maior parte da população: empresários, trabalhadores, governantes. Marina não aguentou, e nem tinha como aguentar mais tempo tanta pressão.

Todos estes anseios que eu citei acima são, hoje, antagônicos à idéia de sustentabilidade. Pelo menos por enquanto, um país não cresce a altas taxas sem poluir absurdamente, destruir suas matas, ameçar o equilíbrio de ecossistemas. Assim, o Brasil, nas declarações que ouço de todas as partes, está fazendo uma escolha: mais crescimento, menos proteção ao meio-ambiente.

É pena que seja assim. Só me resta esperar que o novo Ministro continue, tanto quanto possível, cuidando para que o nosso crescimento não seja tão sujo quanto o dos chineses. E que Deus ajude a Amazônia (porque esperar isso dos humanos é pedir demais à capacidade da nossa espécie).

terça-feira, maio 13, 2008

Carro cai em escadaria na Av. Paulista

Hahahahaha... Burrro!! Também, fica falando no celular e dirigindo, dá nisso...

segunda-feira, maio 12, 2008

Eu acho que a questão energética é a mais importante do mundo hoje. E, como já disse aqui, dá um certo medo ver que a humanidade está mais do que perdida com relação a esse assunto.

Minha opinião, baseada no que ouço dos especialistas, é de que não existe uma única solução ideal. Todas elas têm seus prós e contras, e sua aplicação depende muito do ambiente em questão. Cada país terá que escolher sua matriz ideal, e, claro, usar o menos possível energias ultra poluidoras, como a baseada na queima de carvão.

Estava lendo na semana passada um livro de outro desses especialistas, Lineu Belico Reis. O livro, "Energia Elétrica para o Desenvolvimento Sustentável", aponta para essa mesma direção. Sobre energia hidrelétrica, é categórico: as grandes usinas, sabe-se hoje, são tremendamente prejudiciais ao meio-ambiente. As pequenas são viáveis, mas têm pouco impacto na geração de energia.

Já a energia atômica, para ele, precisa de desenvolvimento tecnológico para tratar a questão dos resíduos.

Ele vê como boas alternativas para o Brasil o uso de energia solar e eólica, destacando diversas regiões em que elas são viáveis economicamente. Estas fontes, somadas ao nosso bom biocombustível, seriam talvez as soluções ideais para o Brasil. Mas não vemos o governo tratando disso adequadamente. Seria necessário grande investimento (como o que fizemos com o álcool) para fazer o Brasil dominar esta tecnologia para uso comercial, como já fazem vários países da Europa. Sabemos que é um investimento que vale a pena. O difícil é convencer disso governos que só se preocupam com o que dá votos na próxima eleição.

Já nos outros países, é preciso também fazerem a lição de casa. Seria muito importante se cada um deles investisse pesado nas suas soluções, e se houvesse um órgão central forte que cobrasse resultados. Aliás, esse é o principal problema: enquanto não houver este órgão central forte, que cuide do planeta como um todo, continuaremos cada um com seu galinheiro, lutando por "crescimento", e ao mesmo tempo terminando de destruir os recursos naturais do planeta.

sábado, maio 10, 2008

Uma ótima idéia vinda do futebol da Inglaterra: um clube cujos donos são internautas, que compram ações pela Web, decidem investimentos, jogadores, etc. Seria o fim dos cartolas!

O clube se chama Ebbsfleet United, é da década de 40, e acaba de vencer um campeonato em Wembley, em frente a 40 mil pessoas! É a Trophy Cup, uma espécie de 2ª divisão da FA Cup, para clubes da 5ª e 6ª divisão inglesa.

Eu sei, ele tá lá embaixo, mas só pela idéia, já dá vontade de torcer para que ele alcance a 1ª divisão. E que essa idéia se espalhe!

Site do Ebbsfleet United

Página do clube na Wikipedia

segunda-feira, maio 05, 2008

Andei vendo o esquema de aplicações do Orkut, e fiquei decepcionado. Em fase piloto, podendo ser usado apenas para usuários da Estônia, ele se mostra muito, mas muito atrás dos seus similares.

É um sistema que depende grandemente dos usuários, pois são eles que desenvolvem as aplicações. Como contam quase que apenas com usuários no Brasil, o Orkut já tem aí uma bela desvantagem em relação a MySpace, Facebook, etc., que têm escala global.

O que vi são programinhas mal feitos cheios de bugs, e a previsão de que o Orkut vai continuar comendo poeira, no aspecto tecnológico, em relação a seus concorrentes. Mas até aí, acho que os brasileiros não se importam com isso. Querem mais é distribuir coraçõezinhos e scraps bobos para todos os seus amiguinhos...
Não é mole não... Eu tenho esse blog desde janeiro de 2002, e desde então só pude comemorar aqui um título do Palmeiras, e da segunda divisão ainda por cima!!

Agora, finalmente, ganhamos um decente, o campeonato paulista. Tomara que seja o primeiro de muitos, e que a gente retome a tradição do século XX, de ser o time brasileiro com o maior número de troféus importantes. Que a italianada tome jeito e passe a investir de forma correta no futebol do clube.

sexta-feira, maio 02, 2008

Imaginem estar nesse show e ver o porco sair voando! Deve ter sido incrível!!
Chelsea e Manchester, essa é a final inglesa da Champions League. Eu queria mesmo que fosse Liverpool e Manchester, essa sim uma grande rivalidade, dos dois maiores times da Inglaterra.

Porém, deu Chelsea, um time pequeno, que teve a sorte de ser escolhido por um mafioso russo como lavanderia de dinheiro, assim como fizeram com o Corinthians, por aqui. Não é um time que mereça ser o primeiro campeão europeu vindo de uma grande capital do continente (como já disse aqui, Londres, Berlim, Paris e Roma nunca fizeram um campeão).

Mas futebol hoje é isso mesmo: quem tem mais dinheiro, leva. Se esse dinheiro vem de origens ilegais ou não, ninguém se importa...