quinta-feira, dezembro 31, 2009

Transito de Santos ate a ponte do jaguare. Nunca vi isso!

Nao adianta reclamar, o povo gosta mesmo de muvuca...

domingo, dezembro 27, 2009

Me diz, dá pra falar em Natal, em clima de Natal, em humanidade com uma coisa dessas? Tá louco, é muita selvageria...

sábado, dezembro 26, 2009

E com o texto anterior chegamos ao post de número 2 mil deste blog! Caramba, manter um blog constante por quase 8 anos não é fácil... Ainda mais na correria em que a gente vive. Não sei até quando ele aguenta. O ritmo já não é o mesmo, e isso não deve melhorar no futuro próximo.

Só para se ter idéia, o post mil foi em 2004. Ou seja, levei 2,5 anos para escrever mil posts, e outros 5,5 para escrever outros mil!

Mas é natural, mero sinal de que minha vida se tornou mais produtiva "no mundo real", na mesma proporção em que estou bem menos presente no mundo virtual do que estava no começo deste século. Nossa, pareço um ancião falando assim :-).

Espero demorar mais tempo para chegar aos 3 mil, mas que os próximos mil posts (se chegarem a existir) sejam cada vez mais significativos (e menos com cara de tweets) :-).
Oba! Melhor presente não poderia ganhar: a integral para piano do Villa-Lobos e dois CDs com seus Choros! Dez CDs, música pra ouvir o ano todo :-).

sábado, dezembro 19, 2009

Obama tratou a COP como uma escolha de sede de Olimpíadas, com o mesmo tipo de postura "só vou no último dia". Só que ele precisa entender que o evento era "só um pouco" mais do que isso. E que os EUA, por sua responsabilidade histórica, precisavam mostrar muito mais do que mostraram.

O sinal dessa conferência foi bem claro, e acho que só esses líderes não quiseram ver: a questão está partindo para um radicalismo perigoso, e a ocorrência de eventos violentos deve começar a ser a forma de conduta de grupos mais radicais. Deveremos ver muito disso já na conferência de 2010.

É o que os líderes estão pedindo e, infelizmente, é o que eu acho que eles terão. Talvez só assim eles comecem a pensar na questão além de seus interesses políticos de curto prazo.
De fato, a postura do Obama durante a conferência do clima foi uma das mais decepcionantes que eu já vi de um político. Um ar de arrogância absurdo, descaso completo com os demais países (esse negócio de chegar no último dia e sair impondo um texto final pífio é o fim da picada), nenhuma atitude no sentido de dar um passo à frente na forma de lidar com essas questões.

Claro, passo à frente em relação ao Bush ele deu, mas aí também seria impossível não fazer isso. Mas a postura de liderança positiva, que desse mais força, relevância e direção às discussões desse tipo, isso não aconteceu nem de longe.

Conseguiu levar um banho do nosso "analfabeto" Lula!

Fiquei muito, muito triste, não tanto por nós humanos, mas por todas as espécies de vida desse planeta que dependem da nossa dita "inteligência" para permamecerem vivos.

sexta-feira, dezembro 18, 2009

Último dia da COP-15, e até agora nada de acordo.
E Obama chegando no último dia, com discurso fraco, é uma decepção total.

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Agora estou de volta a uma fase totalmente música erudita (tanto é que estou pedindo discos e DVDs do gênero em todos os amigos secretos de que estou participando). O ídolo da vez é Villa Lobos.

Tudo bem que considero ele apenas meio gênio. Era extremamente inventivo, adoro essa coisa que ele fez misturando a música popular e erudita, mas não era exatamente um craque na técnica de orquestração.

Só que, ao misturar o erudito e popular, considero que ele foi um dos maiores responsáveis pelo surgimento de uma música popular de classe média simplesmente genial no Brasil, da década de 1950 até 1980. Tom Jobim praticamente não bebeu em outra fonte. E os demais praticamente não beberam em outra fonte que não Tom Jobim.

E, no campo da música erudita brasileira, ele iniciou uma grande rixa entre os nacionalistas e os defensores do atonalismo, que meio que perdura até hoje.

E aí fico pensando: o atonalismo dita as regras da música erudita hoje no mundo todo, mas tudo o que conseguiu foi afastar as pessoas deste tipo de música. Música é sequencia de impulso e repouso, e a música puramente atonal, que foge artificialmente da gravidade tonal como o diabo da cruz, carece deste último elemento.

Pra mim, o caminho da música erudita é a mistura de elementos dos vários gêneros musicais (como fez Villa Lobos), de diferentes e novos instrumentos, misturados com momentos de atonalismo e momentos de maior repouso. Enquanto procurarem em fórmulas matemáticas a saída (como fazem há um século), tudo o que vão conseguir é manter cada vez mais vazias as salas de concerto.
Sobre o caso do Cesar Benjamin x Lula, para o qual o Alex me chamou a atenção semana passada, minha opinião é que parece muito mais uma rixa pessoal do que qualquer outra coisa. Há tempos esse cara fica procurando atacar o Lula com base em inconfidências e coisas do tipo.

Só que, a não ser que ele tenha provas de que o Lula de fato cometeu um crime, ele não pode publicar o que quiser. E ficar levando a discussão para este nível é algo que não presta a nada. Discutir um presidente da república tem que ser algo mais sério do que isso. Senão, fica algo até benéfico ao próprio Lula: para o povo que o adora, fica a impressão de que o Lula está sendo vítima de uma difamação (o que de fato é verdade, a não ser que haja provas).

Enfim, é só mais uma demonstração do quão tosca é a esquerda brasileira. Claro que a direita não fica atrás (vide caso Arruda...).

domingo, dezembro 06, 2009

Parabéns, Flamengo, campeão da maracutaia 2009!

quarta-feira, novembro 25, 2009

Isso é ser humano:


Centenas de pessoas se aglomeram em frente a shopping de Jacarta, na Indonésia, em uma tentativa de conseguir comprar celular com desconto durante liquidação
Fonte: http://noticias.uol.com.br/album/091125_album.jhtm?abrefoto=12

terça-feira, novembro 24, 2009

Sessão final dos vídeos do casamento! Lembrando que é bom esperar carregar tudo, porque está meio pesado...

1 - Retrospectiva


2 - Dia da Noiva


3 - Entradas Noivo e Noiva


4 - Entrada do Pajem e Damas / Ave Maria


5 - Cumprimentos


6 - Buquê

quinta-feira, novembro 19, 2009

Vamos ver se agora me entendem melhor, se isolarmos as paixões clubísticas:

Giovani Trapattoni, técnico da Irlanda, sobre o lamentável acontecimento de ontem (mais um) que tirou sua equipe da Copa:

"Trapattoni afirmou que erros como o cometido pelo árbitro Martin Hansson sempre aconteceram e vão continuar fazendo parte do esporte. E que algo mais sério deveria ser feito para recuperar a credibilidade do mesmo.

- Não era dever de Henry avisar que ele havia usado a mão. Não cabia a ele isso. É possível um árbitro cometer um erro, assim como os técnicos erram e os jogadores também. Se fosse conosco? Seríamos criticados como a França está sendo. O futebol envolve muita coisa, é uma grande responsabilidade. Nesse nível, precisamos impedir que esse tipo de coisa aconteça. Há muitas dúvidas em um jogo de futebol que precisam ser eliminadas. Por isso tenho certeza de que no futuro vão liberar a repetição das jogadas pela televisão. Para mim, seria bom uma parada de 30 segundos para esclarecer a questão - analisou."


Ou seja, não sou eu apenas que estou falando de crise de credibilidade no futebol. O problema é que não há interesse para mudar. Isso só vai acontecer quando a tal "imprensa esportiva" deixar de ser chapa branca e largar o discurso "isso sempre aconteceu, é normal..." e passar a defender o que o Trapattoni diz, e que é tão óbvio!: o futebol precisa de uma intensa revisão nas suas regras e nas formas de aplicá-las.

E não só isso, como também uma revisão de todos os seus critérios disciplinares dentro e fora de campo (vide agora a palhaçada que estão fazendo para entregar o título brasileiro nas mãos do Flamengo, algo que eu me recuso até mesmo a comentar). Enquanto isso não for feito, reitero o que disse: não discuto mais esse esporte como se ele fosse algo sério.

terça-feira, novembro 17, 2009

Nossa, esses políticos não têm mesmo o que fazer. Ficam aí anunciando de boca cheia a criação "de uma nova ferramenta tecnológica de apoio ao trabalhador", e quando você vai ver, é um sitezinho tosco, com um sistema pra lá de burro.

Então, o dito cujo quer me dar a minha % de empregabilidade, e ainda por cima a minha faixa salarial esperada e quanto tempo eu vou ficar no meu novo emprego, sem sequer perguntar em que área eu atuo, e há quantos anos! Não quer saber também se eu fiz pós-graduação, nem onde!

Querer responder a estas perguntas só como informações como cor da pele, estado em que mora e idade é o fim da picada... Voltem para a prancheta!

domingo, novembro 15, 2009

Finalmente, os vídeos do casamento ficaram prontos!
Seguem abaixo algumas partes (estão um pouco pesados, então sugiro esperar terminar de carregar tudo antes de tocar). Aos poucos vou publicando algumas coisas aqui.

Melhores Momentos


Zoera


Depoimentos - Parte 1


Depoimentos - Parte 2

sexta-feira, novembro 13, 2009

O que eu tô sentindo, especificamente neste final de campeonato, é que a dupla Fla-Flu está deitando e rolando. Parece haver uma força muito grande nos bastidores pro Flamengo ser campeão, e pro Flu se livrar do rebaixamento. Essa perda de mando do São Paulo agora foi mais uma coisa muito estranha (como se esse campeonato precisasse de mais...)

Se meu sentimento estiver certo, então o São Paulo pode se preparar pra sofrer muito com arbitragens nos próximos jogos.

quinta-feira, novembro 12, 2009

Por favor, vejam as imagens abaixo (no meio do vídeo) gravadas por um "cinegrafista amador" (prefiro chamar de retardado) e me digam: o ser humano tem solução??? Todos com seus celulares, em êxtase, como se nunca tivessem visto mulher com minissaia na vida!



Eu sinceramente estou perdendo o pouco que ainda me resta de fé na humanidade...

segunda-feira, novembro 09, 2009

Interessantíssima matéria indicada pelo Alex. Na verdade, o que está ali é o que sentimos no dia-a-dia, convivendo com pessoas de diversas classes sociais. Queria entender mais os porquês desse conjunto de valores das classes mais baixas.
Estão vendo o vídeo aí embaixo?



Pra mim chega. Sério, cansei de ser mais um palhaço, gastando minhas horas de fim de semana pra ver aquilo que há muito tempo já sei: o futebol, especialmente o brasileiro, é um antro de roubalheira. Quem leva ele a sério, fazendo comentários ditos "técnicos" sobre quem é o líder, quem vai ser campeão, quem vai ser rebaixado, etc., etc., é na verdade ou um hipócrita ou um ingênuo (ou palhaço mesmo...).

Então, resolvi fazer o que já devia ter feito há muito tempo. Já que o campeão será aquele que mais (e melhor) vai roubar, então pra que se envolver com futebol? É uma pena, porque perco uma das minhas diversões. Mas vou buscar outras mais interessantes, como por exemplo mais leituras.

Espero conseguir isso, porque o vício é grande. Mas, na boa, hoje me sinto mais idiota torcendo num jogo de futebol do que assistindo a uma novela do Manoel Carlos! Agora sinto na pele o que sentiram o Inter em 2005 e o Grêmio no ano passado, e tantos outros.

No campeonato real, sem erros de arbitragem, o Palmeiras estaria 6 pontos à frente do São Paulo. Com a roubalheira, fica 1 atrás. Mas qual a graça de ganhar desse jeito?

Enfim, cansei, ver um gol desse ser anulado, com o juiz na frente do lance, é muito chato pra quem torce. E ainda sabendo que era o Simon. Me diga: por que escalar um cara como o Simon, com seu histórico bizarro, para apitar um jogo dessa importância, no final do campeonato? A resposta é óbvia, e só não vê quem não quer.

Chega de futebol. Infelizmente, esta foi a última partida a que eu assisti com real envolvimento.

sábado, novembro 07, 2009

Sobre o Top Of Mind deste ano:
"Entregue pelo terceiro ano, o Top Meio Ambiente, destinado às marcas mais identificadas com a preservação da natureza, consagrou a Ypê, citada por 9% dos entrevistados. Na sequencia aparecem Natura (4%), Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (4%), Greenpeace (2%), Petrobras (2%) e Vale (2%). O percentual de entrevistados que citou pelo menos uma marca subiu dos 37% verificados nos dois anos anteriores para 42%, o que significa alta de cinco pontos percentuais. Mesmo assim, 58% dos ouvidos não conseguiu relacionar a preservação da natureza com nenhuma marca."

Petrobrás identificada com meio-ambiente? Ê, povo burro...

quarta-feira, novembro 04, 2009

Todo mundo só fala no Palmeiras e no São Paulo, mas eu acho que o campeão vai ser o Atlético. Tem jogos muito mais fáceis, e tem jogado melhor que os paulistas. Além do que, merecem, coitados, há quase 40 anos não ganham nada maior que campeonato mineiro.

Vamos conferir. Se as arbitragens não atrapalharem, como têm feito durante todo o campeonato...

segunda-feira, novembro 02, 2009



Junte os dois episódios (da agressão à estudante de educação física, e agora essa do vestido) e o que você tem? O resultado de décadas de descaso com educação básica no Brasil. Agora, o ambiente de faculdade, antes sério e respeitado, já se parece com aquele de escolas públicas das mais largadas. É isso o que conseguiram com o modelo que escolheram para a educação no Brasil. Com a progressão continuada, o investimento baixo, a corrupção desenfreada, a liberação de todo tipo de faculdade privada.

No fundo, esses "estudantes" querem tudo, menos estudar. Afinal, não sabem o que é isso desde a pré-escola.

Não se iludam: a tendência é só piorar. As novas gerações continuam a ser formadas em escolas básicas cada vez piores, e seu acesso à faculdade é facilitado ao extremo. O resultado será o que já começamos a ver. Profissionais "formados" sem capacidade nenhuma, nem mesmo para redigir uma carta. Tudo para criar a ilusão, olhando os números, de que "o acesso à educação se democratizou". Que educação? Essa, que vemos nos vídeos? Não é à toa que a arquitetura desse campus parece mais a de um presídio...

Nunca, na história desse país...

domingo, novembro 01, 2009

E, de fato, aos poucos as coisas vão se acertando...

terça-feira, outubro 27, 2009

Mais uma dos anais da nossa televisão!

Júpiter Maçã em começo de carreira, com os Cascaveletes, cantando baixaria no Clube da Criança da Angélica!! hahahaha...

sábado, outubro 24, 2009

Meu amigo Alex escreve dizedo que a solução para o Rio é a legalização e regularização do comércio de drogas, tirando dos traficantes este filão.

Eu também pensava assim, mas tem só um problema com essa teoria: ela não acaba com os bandidos, só com o seu negócio atual. E eles não terão escrúpulos em partir para outros, talvez mais violentos: sequestros, latrocínios, etc.

Talvez valha a pena, porque então eles terão que partir para "negócios" em que terão que se arriscar mais, descer o morro, sair de suas fortalezas. Mas, por outro lado, a violência contra a população da Zona Sul tende a se tornar ainda pior...

sexta-feira, outubro 23, 2009

Excelente a entrevista com o Lula feita pela Folha. Só merecia melhor copidescagem...

Concordo com o Serra, "mostra bem o que o Lula é, de ponta a ponta". Um grande e merecido elogio que ele faz à reportagem.

O que é mais impressionante, eu acho, é mais uma vez a capacidade de comunicação com o povo que o sujeito tem. Nunca vi coisa assim de político nenhum em toda a minha vida.

quinta-feira, outubro 22, 2009

Queria escrever várias coisas aqui, mas percebo que já não sinto mais a mesma liberdade de falar tudo o que penso no meu blog. A vida se tornou muito mais séria agora do que era há 8 anos, quando abri isso aqui, e então não dá pra simplesmente chutar o pau da barraca. Uma pena. Talvez seja uma fase. Ou talvez seja hora de parar de escrever em blog, não sei...

Ontem estava lendo posts de 2004. Como é interessante acompanhar tudo aquilo de novo, através dos posts. Todas as sensações vão voltando, e muitas coisas que eram monstruosas parecem agora ridículas, ou simplesmente engraçadas. Seria tão bom se eu pudesse continuar a escrever naquela mesma linha.

O que posso dizer é que minha fase anda estranha.

E que foi bastante simbólico eu ter hoje freqüentado dois tipos de salas de aula: de escola pública, com adolescentes da periferia; e na FGV com os pós-graduandos em MBA, na Berrini. Simbólico foi o fato de que os primeiros pareciam muito mais maduros e educados...

E, mais uma vez, enquanto meu time entra em má fase, eu vou junto.

Mas vamos superar!

quarta-feira, outubro 21, 2009

Tempos estranhos... Minha saúde não anda nada boa...

sábado, outubro 17, 2009

Rubinho na pole, e seu companheiro em 14º.

Mais uma vez mostrando o quanto é "pé de chinelo..."
Obras na Marginal Tietê. E nossa cidade, que já um caos, promete meses de trânsito nunca antes vistos neste fim de ano.

Melhor nem pensar em chegar perto da Marginal até fevereiro...

domingo, outubro 04, 2009

Muito boa lembrança, mãe, que música maravilhosa! Segue então abaixo "Alfonsina y el mar". Outra música da minha infância, da genial Mercedes Sosa.



E o 3º estrofe, que minha mãe citou:

Te vas Alfonsina
Con tu soledad
¿Qué poemas nuevos
Fuíste a buscar?
Una voz antigüa
De viento y de sal
Te requiebra el alma
Y la está llevando
Y te vas hacia allá
Como en sueños
Dormida, Alfonsina
Vestida de mar.
Essa sim, uma das maiores cantoras que já vi. Embalou muito a minha infância, com minha mãe botando pra tocar nos alto-falantes de toda a casa, e tentando cantar acompanhando (claro que sempre estragava a música :-)).

E não dá pra esquecer os duetos dela com o Milton Nascimento.

Ficam aqui dois vídeos em homenagem a essa mulher. É esse tipo de musicista que faz a gente realmente amar a música.



sexta-feira, outubro 02, 2009

E o Rio ganhou. Olha que pra mim ele era sempre um azarão. Só nas últimas semanas começamos a ouvir notícias de que ele era favorito, o que pra mim foi uma surpresa.

Por um lado, acho legal. Quem sabe com eventos como o Pan, Copa do Mundo e Olimpíadas o Brasil começa a olhar mais sério pro esporte, deixa de ser uma monocultura do futebol e, além disso, investe mais na infra-estrutura das cidades.

Só que, pra ser sincero (e sempre falei isso), o Rio não deveria ser a 1ª cidade da América do Sul a sediar uma Olimpíada. Com tanta violência, desorganização, estado paralelo e ainda um povo que não sabe bem o que é espírito esportivo (vide as vaias nas provas de ginástica durante o Pan), eu acho que haveria muitas outras cidades na frente. Vai ser meio vergonhoso ver a galera vaiar e esculachar o cara enquanto ele faz a mira na prova de tiro. E o mundo inteiro assistindo...

Concordo, as Olimpíadas tinham que vir para a América do Sul. Mas que tal cidades como Santiago, Buenos Aires, Curitiba, Brasília e Porto Alegre? Acho que elas estão anos-luz na frente do Rio nos quesitos acima. Pra mim, a decisão foi mais emocional do que qualquer outra coisa.

Mas, enfim, estamos aí com a Copa e a Olimpíada. Vai ser divertido (e eu quero ser voluntário!!).

"Nunca na história desse país...". Agora ninguém segura mais o Lula...
Site muito legal com as primeiras páginas de jornais de todo mundo.

segunda-feira, setembro 28, 2009

Mais uma idéia estúpida de um governo especialista em paleativos.

Tiramos a multidão da plataforma e colocamos na parte de cima da estação. Não é genial?? Basta este "passe de mágica" e todos voltarão felizes da vida para casa, "humanizamos" o embarque!! Depois pensamos em como "humanizar" o novo gargalo, a passagem pela catraca. :-)

Não adianta: num país como o Brasil, só teremos solução real pros problemas de transporte público no dia em que as pessoas que decidem essas asneiras forem obrigadas a pegar trem e ônibus todo dia.

UPDATE: matéria do UOL, ainda mais esclarecedora sobre o resultado da experiência.

quinta-feira, setembro 24, 2009

Bom, só pra ser coerente, o Palmeiras é que foi ajudado hoje, em 2 pontinhos. Mas mesmo assim, pelas minhas contas, a diferença real para o São Paulo seria hoje de 10 pontos (e não 3, como está na tabela).

Verdão rumo ao HEPTA!!

quarta-feira, setembro 23, 2009

O metrô de São Paulo, que antes era pequeno, mas pelo menos organizado, hoje é sinônimo de caos.

O preço baixo das passagens e a falta de linhas fez com que viagens de metrô se transformassem num pesadelo pra quem trafega nos horários de pico (como se pode ver no vídeo que coloquei aqui há alguns dias, e novamente no final deste post).

Tava dando uma pesquisada sobre isso. Enquanto que o metrô de Londres inaugurou sua primeira linha em 1890, só fomos fazer isso em 1975! Hoje, eles têm 11 linhas (além de um número enorme de linhas de trem), enquanto que nós temos 4, e um punhado de trens horríveis da CPTM (o governo gosta de falar que melhorou nos últimos tempos, mas não é o que o pessoal que pega todo dia diz...).

Pra não ficar comparando com Londres, vamos então falar sobre nossos companheiros subdesenvolvidos da Cidade do México. Lá eles inauguraram a primeira linha em 1969 (só um pouco antes de nós), mas já têm 11 linhas (o mesmo que Londres), 175 estações e 177 km de extensão. Nossos dados: 4 linhas, 55 estações e 61,3 km de extensão. Vergonhoso.

Ok, tudo isso já é bastante comentado, mas então de quem é a culpa do nosso descompasso com o México?

Bom, para fazer 11 linhas em 34 anos, com 1 governo a cada 4 anos (portanto com 8,5 governos), bastava que cada governo criasse 1,3 linha.

Vejamos o histórico:

- Paulo Egídio Martins (Arena) - Inaugurou a linha Norte-Sul (1975). 1 linha.
Foi um governador tremendamente autoritário, do regime militar, mas pelo menos construiu metrô...

- Maluf (Arena) - Criou boa parte da linha Leste-Oeste (1979 a 1983). 1 linha.

- Montoro (ala do PMDB que é o atual PSDB) - Construiu só 3 estações da linha Leste-Oeste (Anhangabaú, Penha e Carrão). Digamos que foi 0,1 linha...

- Quércia (PMDB) - Construiu boa parte da linha verde e terminou a linha Leste-Oeste. 1,5 linha.

- Mário Covas (PSDB) - Em 2 governos, criou só a linha Lilás (que ainda por cima é super pequena e não se liga às outras linhas até hoje). Fez também algumas estaçõezinhas a mais na Norte-Sul. Portanto, cada governo dele fez 0,5 linha.

- Alckmin (PSDB) - Expandiu um pouquinho de nada a linha verde. 0,1 linha.

- José Serra (PSDB) - Não acabou ainda seu governo, mas seu plano é, até o final, inaugurar a linha amarela e expandir a linha verde. Muitos duvidam que vá inaugurar qualquer coisa até o final do mandato. Por enquanto, inaugurou 0 linhas.


O que dá pra concluir é o seguinte: em todos estes 34 anos, tivemos 2 tipos de governadores. Ou desenvolvimentistas de padrão ético super duvidoso, mas que pelo menos construíram metrô em uma velocidade minimamente aceitável (apesar de também um pouco abaixo da ideal, com exceção do Quércia), ou os ditos "responsáveis" do ponto de vista fiscal, mas que não construíram quase nada de metrô (os tucanos em geral). O argumento destes últimos: é muito caro. Se o ritmo dos desenvolvimentistas tivesse sido mantido, teríamos hoje mais que o dobro de linhas.

Não é possível que exista esta dualidade: ou o cara faz metrô, mas rouba e quebra o estado, ou o cara não faz metrô, e mantém as contas em dia. Simplesmente porque estamos falando talvez do principal investimento que pode ser feito em São Paulo, tanto para a qualidade de vida das pessoas quanto para a nossa própria economia. Será que os tucanos não colocam neste cálculo o gasto em saúde que se tem com a poluição gerada pelos carros? Os gastos com manutenção de frotas de ônibus (que com certeza estragam muito mais rápido neste trânsito caótico)? O custo de manter toda uma população parada 4 horas por dia, em vez de produzindo? O custo ambiental para tentar reduzir o impacto dos automóveis e ônibus? O custo de manter um exército de marronzinhos para fiscalizar a segunda maior frota de veículos do mundo?

E nem se pode dizer que a culpa é do governo federal, pois de 94 a 2001 eles governaram São Paulo e o Brasil.

Quando o PSDB vai acordar e parar de olhar apenas os números nos balanços, sem enxergar o imenso valor intangível que representa termos um metrô digno de uma cidade deste tamanho?

Enquanto eles não acordam, não tem jeito: somos obrigados a nos conformar e continuar sofrendo das gripes, tosses e com nossa triste vida, atravessando a cidade todos os dias, como uma verdadeira manada.

segunda-feira, setembro 21, 2009

Tá aí abaixo a prova: -1 ponto pro São Paulo no campeonato "Real".

domingo, setembro 20, 2009

Não esqueci de fazer as contas, não...

Diferença real entre Palmeiras e São Paulo = 9 pontos.

Os juízes tiraram 6 pontos do Palmeiras:
2 pontos contra o São Paulo
1 ponto contra o Coritiba
1 ponto contra o Goiás
2 pontos contra o Atlético-PR

E deram 3 pro São Paulo (Palmeiras, Atlético-PR e Santo André, este último ontem, depois de um pênalti escandaloso do Mirando. Daqui a pouco posto o vídeo).

Interessante, situação bem parecida com a do ano passado.

Assista a um jogo do São Paulo, e garanto que será quase impossível ver ele ser prejudicado pela arbitragem (eu nem lembro de tal cena acontecendo na minha vida). Quase sempre verá ele sendo ajudado.

Agora, assita a um jogo de Inter e Palmeiras, e muito provavelmente verá o contrário.

quinta-feira, setembro 17, 2009

Muito interessante parecer do ilustríssimo magistrado Edilson Rumbelsperger Rodrigues sobre a lei Maria da Penha.

Entre outras coisas, ele afirma ser a referida lei um "monstrengo tinhoso", e um "conjunto de regras diabólicas". Ah, e diz que seu intuito é apenas defender "a figura paterna".

Excelente esse juiz, seu parecer é mesmo incrivelmente profundo.

Mais legal ainda é ver os comentários da reportagem. Ou seja, nosso povo merece mesmo o judiciário que tem...

domingo, setembro 13, 2009

Nossa Justiça, essa sim a maior mazela brasileira.

terça-feira, setembro 08, 2009

Pra onde vai esse mundo, meu Deus...
Imagens do Metrô Sé na hora do rush.

segunda-feira, setembro 07, 2009

A vitória do basquete brasileiro na Copa América (competição que só contou com duas baixas: EUA fora e Argentina com time reserva) prova que temos sim um bom time, que pode se considerar hoje o 3º melhor das Américas.

O que falta pra voltarmos à elite mundial é só uma confederação que se preze, que organize bons campeonatos, como acontece com o vôlei (isso está começando a acontecer agora, tomara que pegue pra valer). Ah, e também que os estrelinhas da NBA resolvam ficar de vez na seleção.

domingo, setembro 06, 2009

Dunga conseguiu em 3 meses vencer o Uruguai em Montevidéu por 4x0 e a Argentina em Rosario por 3x1.

Não tem nem o que dizer. Todos os jornalistas "esportivos" que debochavam e falavam tão mal dele vão ter que baixar a cabeça. Seria bom também se usassem esse momento para refletirem um pouco mais sobre a quantidade de bobagens que dizem, e passassem a ser um pouco mais ponderados...

E, como sempre digo, que aproveitassem para aprender um pouco mais sobre outros esportes.

segunda-feira, agosto 31, 2009

Uma das cenas mais patéticas já vistas (tem que ter paciência e ouvir até o final).

Bem representativo do momento que vive a política desta nação...

Incrível: tirando as universidades americanas, a USP fica atrás de apenas 4 no mundo (1 inglesa, 1 japonesa, 1 de Taiwan e 1 canadense).

Se a pesquisa for séria mesmo, é uma colocação simplesmente sensacional!

E a primeira francesa no ranking aparece só depois da centésima colocação. O que em boa parte explica o porquê de a França só andar pra trás nos últimos tempos...

domingo, agosto 30, 2009

Boa reportagem mostrando o retrato do PV atual. Pura fisiologia. Aliás, alguém aí já viu a presença do PV em qualquer tipo de evento ou campanha envolvendo o tema sustentabilidade?

Pra mim, a recente chegada de Gabeira e Marina Silva não são suficientes pra mudar o partido, já totalmente infestado de políticos de quinta categoria.

Ou seja, há amplo espaço para a criação de um novo partido (tipo um PVdoB ou algo que o valha), só com ambientalistas de primeira linha. Marina e Gabeira mudariam pra lá rapidinho.

E aí, ninguém pra tomar essa atitude???

quarta-feira, agosto 26, 2009

Esses políticos e cartolas usando Twitter são uma piada!
Olha aí um seguidor do Mercadante.
Incrível: a Inglaterra assustada com a volta dos Hooligans.
E o mais louco é que o clássico mais sangrento do país é entre 2 times pequenos! West Ham e Millwall, o que equivaleria a um Guarani e Ponte Preta, por aqui.
Um pouco tarde pro show, hein Suplicy?

Isso é um circo da pior espécie...

domingo, agosto 23, 2009

Em todos esses anos nessa empresa vital, (que eu me lembre) essa é a primeira vez em que isso me acontece!

quinta-feira, agosto 20, 2009

Aí sim!! Bela terceira camisa do Palmeiras. Sou sempre a favor de camisas históricas, ou com referências italianas, e acho que deviam colocar a Cruz de Savóia permanentemente em todos os modelos!!

terça-feira, agosto 18, 2009

Se o São Paulo for campeão, ficará cientificamente comprovado que qualquer técnico consegue ser campeão nesse time...
E Maurício toma conta da Rádio BIT Company! Agora só toca Beatles nessa budega!! :-)

quinta-feira, agosto 13, 2009

Parece que não vou precisar votar nulo ano que vem...

Marina Silva é uma bela opção, não como salvadora da pátria (porque isso não existe), nem com o partido de aluguel que terá por trás, mas por ser alguém em que eu, votando, vou conseguir manifestar minhas opiniões a respeito da Amazônia, Mudanças Climáticas, etc.

Quem sabe ela não ganha uma bela votação e assim ajuda a colocar a questão ambiental finalmente em pauta aqui no Brasil...

sábado, agosto 08, 2009

Excelente vídeo mostrando a QUALIDADE do nosso Senado.
Destaque para a performance do Suplicy, no final.

quinta-feira, agosto 06, 2009

Essa matéria é boa pros mal-informados:
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2009/08/06/ult7403u303.jhtm

Ano passado morreram 70 mil pessoas de gripe comum, só no Brasil.

Senhores jornalistas, vamos parar de fazer a pauta da contagem dos mortos da gripe suína??!!

E nós, idealistas, que fazíamos jornalismo denunciando a lavagem cerebral da publicidade...

segunda-feira, agosto 03, 2009

Eu, hein, tenho medo de entrar no Senado... Só tem louco! Esse Collor é um psicopata!
Melhor pararmos de "deblaterar"!!

segunda-feira, julho 27, 2009

Finalmente consegui ver hoje o "Loki", documentário sobre a vida do Arnaldo Baptista. Curti, claro, como não poderia deixar de curtir uma biografia sobre um cara de quem eu gosto tanto. Mas me decepcionei em alguns pontos.

Entre eles, o principal é a falta de profundidade em alguns pontos-chave da história, como a separação da Rita, o acidente, e sua doença mental. Faltou falar com médicos, falar com alguém ligado à Rita (já que, obviamente, falar com a própria sobre isso tudo é quase sempre impossível).

Fica difícil chegar a conclusões sobre a história deles quando um (Carlos Calado) faz uma biografia totalmente voltada para o lado da Rita Lee ("A Divina Comédia dos Mutantes"), e outro faz o contrário. Está faltando aí um jornalista que seja mais imparcial ao ouvir os dois lados e assim tente solucionar essas contradições todas.

De qualquer forma: é sempre bom ver e ouvir os Mutantes em ação! E só por isso já valeu muito a ida ao cinema.
Ihhh, vamos ter que mudar a musiquinha pra "ôoo, Obina é melhor que o Ronaldôoo!!"
Hahahahha...

domingo, julho 19, 2009

Em 2000, o Palmeiras perdeu a final da Libertadores para o Boca Juniors - ARG, em pleno estádio do Morumbi.

Em 2002, o São Caetano perdeu para o Olímpia - PAR, também em São Paulo.

Em 2003, foi o Santos, contra o Boca Juniors, mais uma vez em São Paulo.

Em 2007 foi a vez do Grêmio, novamente contra o Boca, em Porto Alegre.

Em 2008 foi o FLuminense, contra a LDU - EQU, no Rio de Janeiro.

E por fim, em 2009, o Cruzeiro perde a final para o Estudiantes - ARG, em BH.

Resumo da ópera: uma década de finais perdidas para times estrangeiros, em plenos campos brasileiros.

Retrato de um futebol repleto de clubes falidos, com jogadores de quinta categoria, e alguns jovens talentosos, que só pensam em arrumar rapidamente uma negociação milionária para a Europa (mal ficam 1 ano nos times de origem).

Se continuar essa situação, os clubes brasileiros podem se acostumar a passar vergonha na Libertadores, como têm feito ao longo dos últimos 10 anos.

domingo, julho 12, 2009

É vergonhosa a média de público que o Vasco vem tendo na segunda divisão. De longe, é a pior entre os times grandes que já participaram desta "grande" competição.

Outro dia, vi um jogo com 7 mil pagantes. Ontem, foram 12 mil. No momento em que o time mais precisa de apoio, esse é o comparecimento que eles conseguem. Essa torcida realmente merece o rótulo de "infiel".

sexta-feira, julho 10, 2009

Vídeo sensacional que "esclarece" a questão do olhar de Obama e Sarkozy à jovem brasileira durante encontro do G8.

É muito engraçado! Enquanto Obama parece estar apenas ajudando uma outra jovem (mas na minha opinião está é disfarçando pra olhar pra brasileira), Sarkozy é o maior despudorado!! Hahahaha

Carla Bruni deve ter ficado uma fera...

E palmas para o fotógrafo que pegou a foto dos dois. Foi absolutamente preciso.

quinta-feira, julho 09, 2009

Sobre essa história toda de Michael Jackson, eu só queria deixar registrado aqui uma coisa.

Eu gosto mesmo de separar o que a pessoa faz enquanto artista e a sua vida pessoal. E, pensando dessa forma, para mim, o cara foi mesmo genial, aquela genialidade que fica bem no limiar da loucura.

Na música pop, ninguém conseguiu mostrar um talento tão múltiplo quanto ele. Dança, composição, canto, imensa expressividade, visão para quebrar paradigmas, capacidade de se reinventar e de se juntar sempre aos melhores (como em sua incrível parceria com Quincy Jones). Ele realmente se destacou individualmente mais do que qualquer um, até mesmo Elvis, na minha opinião.

Infelizmente, na vida pessoal, ele acabou cruzando esse limiar de que eu falei, entre genialidade e loucura. Mas isso não apaga a obra dele, que é realmente incrível. Músicas como “Smooth Criminal”, “Billie Jean”, “Will you be there”, entre muitas outras, são simplesmente fantásticas.

Essa sempre foi minha opinião, mesmo no auge da sua loucura. E eu realmente acho que faz muita falta hoje em dia artistas com tamanha expressividade e originalidade.

quarta-feira, julho 08, 2009

Quem disse que entrevista de jogador de futebol depois do jogo é tudo igual???

domingo, julho 05, 2009

Meu Deus, é por isso que a Fórmula 1 tá essa bagunça... Os caras (Mosley e Ecclestone) são totalmente loucos!

sábado, julho 04, 2009

Essa mídia...

Adora falar sobre a gripe suína (gasta horas e horas noticiando tudo sobre ela), mas em nenhum momento fala que sua taxa de mortalidade tem ficado muito próxima da gripe comum.

Claro, afinal diminuir a sensação de pânico das pessoas não vende jornal...

sexta-feira, julho 03, 2009

Tinha prometido falar um pouco da minha opinião final sobre a viagem, e no final acabei entrando novamente na correria do dia a dia, e fiquei sem tempo.

Mas agora que deu uma melhorada, vamos lá.

Uma vez, fiz uma comparação entre Londres e Paris, em que dizia que as duas cidades pareciam uma complemento da outra, como se fossem marido e mulher. Londres mais masculina, e Paris uma cidade mais feminina.

Buenos Aires e São Paulo também me parecem cidades parentes. Só que nesse caso seriam como irmãs. Não é à toa que chamamos os argentinos de “hermanos”. São lugares muito parecidos, com histórias muito iguais (elas correm sempre em paralelo), filhos dos mesmos “pais” (os países ibéricos), só que, ao mesmo tempo, com algumas características que os diferenciam.

“O” Buenos Aires (no masculino, como eles a chamam) é como se fosse nosso irmão mais velho: mais maduro, mais classudo, e também mais orgulhoso. E nós paulistanos somos os aprendizes mais novos, com apenas um século de vida realmente importante no nosso país.

Ainda temos muito a aprender com eles. Os argentinos me surpreenderam com seu lado atencioso, educado, prestativo. Aconteciam coisas como eu perguntar o nome de uma rua para alguém, e outra pessoa gritar do outro lado da avenida o nome, ao sentir que tínhamos dificuldade em descobrir. Isso em plena rua mais movimentada da cidade. São coisas que no Brasil a gente não vê.

Assim como o envolvimento com a política. Sim, eles têm andado pra trás economicamente nas últimas décadas, mas no acumulado dos séculos ainda estão muito na nossa frente. Estão atentos ao que acontece, são muito críticos, e tudo indica que agora darão um basta aos desmandos do casal Kirchner. Voltarão, então, a entrar no rumo certo. O que os atrapalha um pouco é a passionalidade excessiva, que predomina muito sobre a razão. Um lado muito sonhador, que os faz rejeitar as soluções pragmáticas (como o Brasil tem feito com sua economia desde a redemocratização) e buscar opções populistas.

Mas ainda assim, é um grande país.

Isso tudo a gente consegue ver bem em Buenos Aires, uma cidade de verdade. Já Bariloche (melhor seria mesmo Brasiloche) é mais para ver as paisagens (que devemos reconhecer, são maravilhosas). Pouco se pode ver de um ambiente urbano real por lá.

Por isso, preferi a primeira semana. Foi um passeio mais completo. Pudemos ver o lado urbano, cultural (dança, música, esporte), gastronômico, comercial, histórico, e até a paisagem natural de Tigre.

E, como resumo geral, ficou a surpresa de uma viagem muito, mas muito melhor do que eu esperava. Tenho certeza que logo, logo (claro, depois da gripe suína, e se o peso continuar assim barato) voltaremos pra lá!

segunda-feira, junho 29, 2009

Interessante matéria, para nos lembrar sempre de que as mulheres que vemos nas revistas não são de verdade...

domingo, junho 28, 2009

14º e penúltimo dia de viagem – 27/6

Último dia que passamos na Argentina, antes do vôo de volta ao Brasil. Que coincidência, é também o primeiro dia de chuva de toda a viagem. Quase não saímos, ficamos no apartamento guardando energia para a viagem e a volta ao batente.

A idéia inicial era aproveitar o último dia para tentar subir novamente ao Cerro Catedral. Mas a preguiça de levantar, a perspectiva de uma imensa muvuca na subida e a chuva nos fizeram desistir. O Cerro Bayo (que subimos outro dia, e fica em Villa La Angostura) é mesmo a melhor opção hoje em dia, porque o Cerro Catedral, mais próximo de “Brasiloche”, tem ficado muito lotado de gente, acompanhando o crescimento desordenado da cidade.

Para a programação da noite, nada melhor do que mais um jantar no Don Molina (agora, além da pechuga, pedimos um vacío – uma carne como a fraldinha brasileira). Também aproveitamos para um último helado (incrível, no primeiro dia em Bariloche pensamos que jamais poderíamos tomar um sorvete no frio daqui, mas agora já estamos acostumados!).



Patrícia atacando o vacío

Mais tarde, vimos os fogos de artifício que marcaram o final do Festival da Neve (em que eles comemoram a chegada da neve à cidade).

A chuva fina e os fogos acompanhavam mesmo os nossos sentimentos: tristeza pelo fim da viagem, mas felicidade por ela ter sido tão legal, cheia de aventuras, aprendizados e experiências bacanas.




Fogos no céu, e nós embaixo, comemorando o fim de uma bela viagem

Valeu muito a pena conhecer a Argentina. Amanhã, como post do último dia, falarei mais sobre a minha impressão desse país tão bacana.

Com 3 graus marcando no termômetro, voltamos ao hotel para a dura tarefa de arrumar nossas malas.

sábado, junho 27, 2009

13º dia de viagem – 26/6

Provavelmente, hoje fizemos o último passeio da viagem: passeio de barco de 5 horas pelo imenso lago Nahuel Huapi, até o Bosque de Arrayanes e Isla Victoria.

O primeiro faz parte de uma grande península muito próxima a Villa La Angostura. É um bosque repleto de plantas com caules laranjas lindos, o que torna o colorido incrível. Já a Isla Victoria é uma ilha também bastante grande que fica no meio do lago, com um Jardim Botânico sensacional, contendo plantas de toda parte do mundo.
Seria o passeio perfeito para a Lili, acho que os fotógrafos se esbaldam aqui. São muitas paisagens sensacionais! A gente até se perde tentando tirar fotos.
Seguem abaixo alguns momentos do passeio.


Vista de montanhas andinas a partir do barco

Vídeo com um pouco mais da vista que tínhamos no barco:



O casal e as “gaviotas” ao fundo. Um monte delas perseguiam o barco, comendo até na mão dos passageiros.

Vídeo com o belo vôo de uma gaivota, tentando se aproximar do barco:



Maurício em meio aos caules alaranjados do Bosque de Arrayanes


E aqui Patrícia e as imensas árvores da Isla Victoria. Nesse passeio eu finalmente pude fazer uma pequena trilha!

Para terminar o dia, jantamos em um restaurante maravilhoso ao lado do hotel (Don Molina), em que experimentamos cervejas da região (a Araucana foi a preferida da Pati, por ser uma bock bem doce; já eu preferi a Negra Modelo, que era mais amarga, apesar de menos encorpada) e comemos um salmão e uma pechuga (peito de frango) simplesmente divinos!

Depois enfrentamos o frio para passear pela cidade à noite. Tomamos um café, um helado e uma Lagrima (a Pati achou que era café com uma gota de leite, mas era o contrário!). Tiramos algumas fotos e já começamos a sentir que a viagem está chegando ao seu final... Amanhã é o último dia na Argentina!


Luzes da cidade de Bariloche, à noite


Isto é uma Lagrima


Maurício doidão tentando achar um ponto do quarto com conexão à Internet sem fio. Em frente à porta foi o melhor que consegui.
O famoso “Cordero Patagônico”

Ficou faltando mostrar o dito cujo, no post anterior. Segue foto do cordero, em pleno “Asador”!

sexta-feira, junho 26, 2009

12º dia de viagem – 25/6

Ontem foi o dia do mais longo passeio da viagem: conhecer San Martin de Los Andes, uma cidade linda, que fica há 190 quilômetros de Bariloche.


Saímos às 8h da manhã. Até às 9, não amanhece por aqui!

O passeio prevê ida pela Rota dos 7 Lagos, e é bem demorado (cerca de 5 horas). Isso porque a estrada é quase toda de terra, e bem estragada. Há também trechos muitos altos, com muita neve, o que o torna um pouco perigoso. Por isso resolvemos desistir de alugar um carro para fazer o passeio e, em vez disso, ir com uma excursão.

Neve por todo o trajeto:


O problema é que a Van estava muito desconfortável, o que fez o passeio muito incômodo. A estrada é mesmo linda, e a cidade de San Martin também, mas aconselho a fazer como tínhamos planejado originalmente: ir a San Martin (talvez de ônibus) e, chegando lá, pernoitar. Voltar no mesmo dia é muito cansativo.

Ou então, sugiro que faça-se apenas o passeio para Villa La Angostura, até o Lago Correntozo. San Martin e os 7 Lagos acaba sendo um passeio meio parecido e comprido demais, então poderia ser deixado de lado.

Isso não quer dizer que não aproveitamos. Vimos paisagens lindas pela estrada, conhecemos uma pequena cidade que parece de mentira de tão bonita, e ainda comemos o famoso cordeiro patagônico (uma das melhores carnes que já comi, sem dúvida, mas bastante pesada!). Valeu a pena o esforço (inclusive o da digestão!!)!






Algumas vistas que tivemos dos tais 7 lagos


Essa era a visão que tínhamos na estrada, durante todo o trajeto. Era neve pra todo lado!


Chegada a San Martin. A cidade ao fundo, e o lago Lácar no primeiro plano


A bela San Martin de Los Andes, com casas todas de madeira

Chegamos no hotel acabados, depois de quase 10 horas dentro do ônibus. A partir de agora, só queremos passeios mais light!
Vídeo – Subida para Cerro Bayo

Incrível pensar que o pessoal desce isso esquiando!

quinta-feira, junho 25, 2009

Vídeos da viagem

Abaixo alguns vídeos da viagem. O segundo é meio longo, não é preciso ver até o fim...

Dança Gaúcha no Caminito (La Boca - Buenos Aires):


Subida ao Cerro Catedral (em Bariloche):


Patrícia praticando o nobre esporte de Skibunda (não deixem de reparar a habilidade da menina de azul que desce com ela):


Maurício também. Reparar as finas que ele tira de um guri e um cara:
11º dia de viagem – 24/6

Hoje foi dia de conhecer finalmente o topo de uma montanha da cordilheira dos Andes: o Cerro Bayo!

Apesar de super baixo (cerca de 1100 metros de altitude), ele está tão perto das grandes montanhas dos Andes que é muito frio, e conserva a neve mais do que montanhas muito mais altas. Foi uma experiência incrível.


A vista a partir do Cerro Bayo


Patrícia feliz com seu Boneco de Neve (não foi ela quem fez!)


Estávamos envoltos por um mundo de neve!


Maurício concentrado fazendo seu boneco de neve


E o resultado! Meu Deus, é um artista!

Depois, fomos conhecer a cidade em que se localiza o Cerro Bayo, a Villa La Angostura. Ela conserva as características originais da vila, coisa que Bariloche perdeu. É muito linda, e fica também às margens do maravilhoso lago Nahuel Huapi, um lago que chega simplesmente a 400m de profundidade, com águas glaciais de cerca de 8º centígrados!


O maravilhoso lago Nahuel Huapi


E a encantadora Villa La Angostura

Foi sem dúvida o passeio mais lindo. Um lugar em que qualquer um sonharia em morar. Uma verdadeira pintura feita por Deus.

Além disso, conhecemos os cachorros mais simpáticos do mundo! Por aqui, a cada esquina há um cachorro muito fofo e carinhoso, de rua mesmo, e ficamos amigos de vários.

A partir desse passeio, nosso nível de exigência aumentou, e os próximos terão que ser muuuuito bons. Foi excelente. Tirando é claro, a convivência com nossos amigos brasileiros...


Casal feliz. Exceto pela companhia dos compatriotas...
O Povo Brasileiro (não segundo Darcy Ribeiro...)

Não, gente, hoje tenho que dar uma pausa no “diário” pra comentar um pouco sobre os brasileiros. Que povo é esse, meu Deus?

Pela primeira vez, viajo internacionalmente com o turista brasileiro mais classe alta, metido, “realizado” na vida. Até então, sempre tinha ficado perto de mochileiros e imigrantes ilegais. E o que encontro? Simplesmente o povo mais folgado e mala do mundo!

Coisas do tipo:

- Combinam de voltar ao ônibus de excursão às 17h, e voltam quase 17h30, deixando todos os demais esperando e perdendo tempo de excursão.

- Gritam para o motorista fundo do ônibus: “LIGA O AR!!”, quando sabemos que em qualquer língua se preza a forma “POR FAVOR, PODERIA ligar o ar?”

- Casal de brasileiros malas pede para você tirar foto deles, e quando você vai tirar, pedem: “agora assim; agora na vertical; tira as pessoas de trás?; deixa eu ver se ficou bom; pode tirar de novo?” AAAHHHHH!!

- Primeira coisa que nos dizem ao chegarmos no hotel: “a cozinha fecha às 22:30”. E o que mais acontece é brasileiro descendo às 23h dizendo: “Pode me fazer um sanduíche? Mas meu filho está doente no quarto e precisa! Que absurdo fecharem antes das 23h!”, e fazendo a maior cena. Sendo que há um restaurante 24h ao lado e que o filho estava doente coisa nenhuma, tanto que ficaram até meia noite comendo e jogando conversa fora (gritando) no restaurante.

- Na fila de uso da Internet, estamos usando o computador, e de repente chega brasileiro: “Cheguei! Tô na fila! Vamo lá, vamo rápido que tô esperando!”

- Não fazem simplesmente NENHUMA questão de falar uma palavra em espanhol. E sabemos como é insuportável receber alguém em nosso país que não se preocupa em falar nada em português. Fico imaginando o ódio que o pessoal daqui tem dos brasileiros.
Meu Deus, que vergonha senti desse povo aqui em Bariloche...

quarta-feira, junho 24, 2009

10º dia de viagem – 23/6

Dia do primeiro passeio em Bariloche: Cerro Catedral. É conhecido como o maior centro de ski da América Latina, mas nos decepcionou pela falta de organização. Os meios para subir a montanha estavam lotados, e até mesmo pessoas que já haviam comprado tickets na cidade não puderam subir. Ficamos portanto na base do pico, o que já foi interessante. Deu um certo mau-humor, mas logo nos recuperamos.


Patrícia e a vista no Cerro Catedral

O importante é que lá onde estávamos podíamos fazer as três coisas principais que queríamos: ver e andar na neve, apreciar a paisagem e, o principal, praticar o Skibunda, esse esporte tão elegante inventado pelos ilustres brasileiros que frequentam a região. Um dia ainda ganharemos medalha de ouro nas Olimpíadas de Inverno nesta modalidade!

Eu e a Pati fomos bem: o saldo geral foi de 0 pessoas atingidas em nossas descidas!
E olha que cansei de tirar fina de muita gente. Porém, seguindo o conselho da Dani e gritando sempre em bom português “Sai da frenteeee”, tudo acabou dando certo. Acho que o mais legal do skibunda é isso: ficar desviando das pessoas. Parece um videogame.

Aliás, dizem que o “esporte” está proibido no alto da montanha, simplesmente porque é um tipo de ski em que o “piloto” não tem o menor controle de direção. E acaba, então, podendo se machucar e machucar outras pessoas. Faz sentido.


Patrícia e seus companheiros em mais uma descida de Skibunda


Maurício tirando mais uma fina da galera. Essa foi por pouco...

O mais incrível no dia é que quase não senti frio! O céu estava super claro, e mesmo no meio da neve dava pra sentir um pouco de calor (principalmente fazendo tanto “exercício”).

Depois que o sol sumiu, sim, o frio ficou intenso.


17h. A essa hora já estava quase congelando...

Agora é torcer para que os próximos passeios sejam mais organizados, e possamos então ir ao topo de uma montanha.


Saída de Cerro Catedral

terça-feira, junho 23, 2009

9º dia de viagem – 22/6

Pra quem não conhece Bariloche, recomendo fortemente clicar nas fotos deste post para vê-las em tamanho grande. Essa cidade parece uma pintura!

Hoje foi dia de realmente conhecer a cidade. E a surpresa já começa com a vista que temos do andar do nosso quarto (não tinha reparado no dia anterior!):


Acordar vendo isso é algo que não me acontece todo dia...

Depois, passeamos com três objetivos: conhecer a cidade, comprar uma calça tipo segunda pele pra mim e fechar os passeios com alguma agência de turismo local.

Acabou dando tudo certo, apesar dos problemas com a siesta (aqui, ao contrário de Buenos Aires, eles praticam este estranho hábito). Então quase tudo fecha durante praticamente toda a tarde. Em compensação, ficam sempre abertos até umas 21h.
Durante o passeio, tivemos ventos geladíssimos e algumas vistas maravilhosas à nossa frente:


Sem dúvida, uma cidade maravilhosa


Patrícia mal consegue olhar a vista, com tanto vento e frio!

Para aliviar o frio, só mesmo entrando em diversos cafés pelo caminho.


Maurício preparando para submergir mais um chocolate

No final, acho que conseguimos fechar um belo pacote de passeios. Foi mais caro do que esperávamos, mas espero que valha a pena. Já alugamos nossas roupas ultra-especiais para neve e começamos a aventura amanhã mesmo! :-)

segunda-feira, junho 22, 2009

8º dia de viagem – 21/6

1º dia em Bariloche. E de fato, o frio bateu forte. Estamos com graus negativos, e mesmo assim tratamos de andar algumas quadras na rua, só pra nos localizarmos e termos alguma aclimatação. E juro, nunca senti um frio tão grande na minha vida!


Os dois já passando mal de frio

Para terminar o dia entramos em um pub (vizinho ao nosso prédio) pra tomar uma Guiness (a primeira de toda a viagem, mesmo que não tivessem pint).




Agora já relaxando com uma Guiness e um Café-Vodka dentro do Pub. Aqui tá mais quentinho!

O hotel foi um pouco decepcionante em alguns pontos, especialmente em questão de espaço (quase não há lugar nem para desfazer as malas!) e de internet (não há wi-fi no quarto, só no piso térreo). Mesmo assim, já vimos que vai dar pra nos divertimos muito por aqui.

A cidade é linda, e já peguei as manhas com alguns dos muitíssimos brasileiros que estão por aqui, sobre os melhores passeios a fazer.

Aliás, essa é uma dúvida que ninguém me consegue responder: porque há tantos brasileiros em Bariloche? A impressão que eu tenho é que estamos no Brasil, e de repente quase todo mundo fala português de novo! Dizem que é porque é barato, mas isso não explica porque não há gente de outras nacionalidades, e sim quase que só brasileiros.

Esse é um dos mistérios que eu vou tentar descobrir nos próximos 7 dias. Aguardem cenas dos próximos capítulos...

PS: Ah, a Pati pede para acrescentar que não podemos deixar de falar sobre as empanadas: “que delícia é aquilo, minha gente??? :-) Os de carne de cordeiro são os melhores, acho que vamos engordar uns 50 kg aqui, hihihi!!!!!!”, diz ela. Só registrando que o de carne de cordeiro foi comido no pub de Bariloche.

sábado, junho 20, 2009

7º dia de viagem – 20/6

Último dia em Buenos Aires, uma cidade que realmente me surpreendeu. Esperava uma São Paulo melhorada, um pouco menor e metida a européia. Essa sempre foi a imagem que tinha da cidade.

O que vi foi algo como uma cidade irmã, sim, de São Paulo (falo sobre isso em outro post), mas realmente muito bonita (para alguém que conhece Paris e Londres, é um elogio e tanto), com uma vocação própria e muito forte de música, dança e gastronomia, além de um temperamento cordial e passional muito bacana. Enfim, algo muito melhor do que eu imaginara.

Cheguei mesmo à conclusão de que nós, brasileiros, temos muito a aprender com los hermanos. E que eles têm muito pouco a aprender conosco.

Mas vamos ao último dia em si: preparamos para esse momento um passeio especial, conhecer o Delta do Rio Paraguai, na cidade de Tigre. Foi um passeio delicioso. Primeiro, cruzamos toda a cidade de trem, e é incrível como é difícil encontrar pobreza por aqui. Sei que há, mas confesso que não vi. Andamos muito de trem, de taxi, a pé, de tudo que é jeito, mas pouco vimos de pessoas e bairros pobres. As casas são em geral muito lindas, e os bairros arborizados e limpos. Além dos trens metropolitanos, passamos também por uma linha chamada Tren de la Costa, que é turística e muito legal. Paramos em várias estações para fazer compras, tomar café, etc. No final, em Tigre, entramos em um passeio de barco pelas ilhas da região. Foi realmente incrível.


O Delta é composto de muitos braços de rio se entrecortando, e com muitas lindas casas à beira dos rios


Mais um belo prédio à beira do Delta


Patrícia se diverte no barco...


Enquanto Maurício fica pirando com suas anotações de viagem

Todo esse super-passeio (incluindo trens, passeio de barco de 1 hora e comida) saiu pela bagatela de R$ 30 cada um. Coisas que só Buenos Aires faz por você...

Agora é hora de aprontar as malas e partir para uma outra viagem completamente distinta. O desafio é o frio de 0º, por 1 semana. Daqui a pouco entro pra contar como é congelar em plena cordilheira dos Andes!
Só mais 3 coisas sobre os argentinos (por enquanto...)

1 - Eles não dão a mínima para tranca nos banheiros, não há isso em lugar nenhum por aqui. Afinal, quem se importa de estar tranquilo, sentado no trono, e sua namorada entrar desavisada no recinto, não é mesmo?

2 – Eles têm uma capacidade incrível de descobrir a sua nacionalidade. Basta dizermos “Hola!” que já respondem “Oi, tudo bem??”! Não é possível, não sei onde eu e a Pati somos tão tipicamente brasileiros. Outro dia o cara me cumprimentou da seguinte forma, sem eu falar nada: “E aí! Sepultura, Ratos de Porão, muito bom!”. Bizarro...

3 – Eles são muito mais patriotas que nós (claro, isso já esperávamos). A toda hora vemos casas com bandeiras argentinas na frente, coisa que no Brasil é coisa de louco (tipo Policarpo Quaresma) ou então sinal de que estamos no meio de uma Copa do Mundo.
Só para constar, faltou só um time grande na lista anterior: San Lorenzo, também de Buenos Aires.
6º dia de viagem – 19/6

Mais um dia de lesera até 14h no quarto. Depois, passeamos por um grande parque (“reserva costanera sur”), onde andamos uns 3 km e conhecemos o Rio La Plata (é bastante sujo por essas bandas). Claro, porque Maurício não conhece uma cidade sem conhecer seus parques, lagos e rios.


Maurício se divertindo no meio da natureza


E Patrícia no meio do lixo do Rio de la Plata

Patrícia começou a ficar cansada e com fome, o que logo se resolveu assim que voltamos a passear pelas lojas de roupa do Centro.

Às 16h, finalmente, iríamos almoçar, mas os restaurantes do local escolhido (Palermo Viejo) têm o péssimo defeito de fechar à tarde, e só reabrir às 20h. Penamos muito, mas achamos um muito bom. De fato, o bairro tem 4 restaurantes por esquina! E a julgar pelo que conhecemos, são excelentes, com uma cozinha mais variada e elaborada que os do Centro.

Ainda trocamos mais longos papos com outros taxistas, e assim pude conhecer um pouco mais do futebol argentino. Soube, por exemplo, que aqui as torcidas se dividem muito por cidades, 2 times em cada: em Buenos Aires quase só tem Boca e River; em Avellaneda é Independiente e Racing; Rosario é Rosario Central e Newell's Old Boys; e La Plata tem o Estudiantes e o Gimnasia y Esgrima (que, mesmo sem ganhar nada, consegue ser mais popular que o grande Estudiantes!). Parece que estes são os principais, somados ao Argentino Juniors e Velez Sarsfield, também da capital, mas que não têm uma torcida tão grande.

Amanhã é o último dia por aqui! E para terminar bem, decidimos fazer um passeio especial. Vamos ver se dá certo!

quinta-feira, junho 18, 2009

5º dia de viagem – 18/6

Hoje tiramos o dia para descansar um pouco mais. Pelo menos essa era a idéia, e ficamos lesando no quarto até às 14h. Mas quando saímos, quase matei a Pati de tanto andar. Foram quase 8 km!

Cortamos todo o centro até chegarmos em Puerto Madero. Lá, comemos em um excelente restaurante italiano (quase tão bom quanto as cantinas paulistanas), e andamos pelos diques numa região muito bonita (me lembrou Canary Wharf, em Londres, ou os diques de Liverpool). Mais uma vez, fica claro como Buenos Aires é uma cidade muito mais bem cuidada que as cidades brasileiras.


Puerto Madero, o Canary Wharf portenho

Tentamos ainda entrar em um parque para ver o Rio de la Plata, mas estava fechando. Amanhã, penúltimo dia em Buenos Aires, vamos tentar passear por ele bem cedo, e depois comer em Palermo. Sábado, último dia, será o dia para ver pela última vez os lugares de que mais gostamos! Está chegando a hora de encarar o frio de 0º de Bariloche!

UPDATE: o restaurante italiano em que almoçamos aqui chama-se BICE.
4º dia de viagem – 17/6

Para começar, tentamos comprar ingressos para o Teatro Colón, mas infelizmente ele continua em reformas... Pudemos apenas tirar algumas fotos deste que é considerado um dos mais bonitos do mundo.


O belo Teatro Colón. Pena não termos conseguido entrar...

Depois disso, fomos direto para o Café Tortoni (também para ver se precisávamos reservar mesas para a noite). Claro que, no meio do caminho, teve que rolar mais e mais compras.

O Café Tortoni é um café normal, porém com todo o peso de tradição de um café que existe há 150 anos e já foi freqüentado por pessoas como Borges e Carlos Gardel. Tomamos um belo helado, compramos ingressos para o show da noite e fomos para o hotel, deixar nossas compras e marchar (de táxi, claro) rumo a La Boca!



Patrícia saboreando um “helado”, enquanto Maurício troca uma idéia com Borges e Gardel...

Em La Boca, tratamos de logo conhecer La Bombonera, antes que fechasse. O estádio é como um qualquer brasileiro (sujo e acabado) porém novamente com o peso de uma tradição: de ser palco dos jogos do time mais vitorioso do futebol sul-americano. Para quem gosta de futebol, realmente é um lugar que TEM que ser visitado.


Patrícia realmente emocionada por entrar no estádio do Boca Juniors

Depois, almojantamos no Caminito, um lugar realmente muito legal e charmoso, mas não indicado para comer. Não é à toa que nosso guia do Lonely Planet não indicava nenhum lugar para comer por ali. Escolhemos um restaurante a esmo, e o resultado foi bem abaixo do que temos experimentado por aqui. O preço, pelo menos, foi também muito mais barato.


Caminito tem um clima muito legal, com casas coloridas e música por toda parte. Só não pensem em comer por aqui...

Terminada a comida, andamos um pouco na beira do rio Riachuelo, que banha La Boca (e que é quase tão mal-cheiroso quanto o Tietê). Aos poucos, começou a escurecer, e o ambiente passou a parecer um pouco perigoso (“hora de ir para o hotel, chicos”, nos recomendou uma garçonete de um café). Tratamos então de pegar rapidamente um taxi (com mais um motorista muito simpático) em direção ao hotel.

E o dia ainda não tinha acabado! Rumamos novamente para o Café Tortoni, para ver um belo show de tango. Todos os músicos e dançarinos eram excelentes, e ainda conhecemos um casal americano muito simpático, com quem dividimos a mesa. Tinham casado no mesmo dia que nós! Os demais do café eram quase todos brasileiros (é incrível como os brasileiros aparecem em todos os lugares!!).


Ao visitar o Café Tortoni, não peçam o chamado Cracker Sandwich, ou terão isto...

Agora sim acabou o dia. Felizmente, não passei mal. Também, hoje comi apenas 2 papas fritas!!