quarta-feira, janeiro 28, 2009

Tô chocado com a notícia do Robinho.
Claro que não dá pra já ir condenando, vai que seja mais uma lambança da polícia inglesa...

O fato é que esses jogadores vêm do nada, sem preparo e uma educação adequada, e ficam deslumbrados com a fama. Milionários e super famosos, acham que podem tudo. Adriano, Ronaldo, Gaúcho, etc., todos perdem a noção e caem em uma vida de excessos. Não é à toa que a seleção anda mal das pernas. Todos os nossos grandes jogadores (com exceção de Kaká) não parecem mais focados no seu rendimento esportivo.

Isso não acontecia antes, quando os jogadores não tinham tanta grana como têm hoje em dia. É a grana (os milhões de dólares em transações que entram no bolso dos caras a cada ano) que dá a eles essa tamanha sensação de poder.

Só que não é privilégio nosso. Os jogadores ingleses, também muitas vezes uns brucutus (lá o futebol tem um apelo muito forte entre uma população desajustada - vide o hooliganism), são constantemente flagrados em situações desse tipo.

Enfim, junte pessoas despreparadas para a vida + muito, mas muito dinheiro, e o resultado é esse. Seja aqui no Brasil, na Argentina (caso Maradona e outros), Inglaterra ou qualquer outro lugar.

sexta-feira, janeiro 23, 2009

Para fins de registro histórico, é bom deixar um post aqui com este link:
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI24813-15260,00-O+DIA+EM+QUE+O+SAO+PAULO+FOI+REBAIXADO.html

Afinal, parece que os são-paulinos estão querendo reescrever a história e dizer que não foram rebaixados no Paulista de 1990, e que não viraram a mesa pra já poder ganhar o paulista do ano seguinte...

Normal, a memória do ser humano é bem curta, mesmo, quando convém.

segunda-feira, janeiro 19, 2009

terça-feira, janeiro 13, 2009

Vergonhoso! Uma das maiores ginastas do mundo, tendo que passar por isso...
Excelente matéria enviada pelo Alex sobre as mudanças climáticas (publicada no Valor). Aqui a gente entende como estamos atrasados, destruindo tudo, com esse papo ridículo de "crescimento do PIB".

Quando a gente vai parar de imitar os ridículos caminhos dos europeus???

Alguns trechos (leitura fundamental):

Valor: A Amazônia, então, é fundamental para a agricultura?

Nobre: Está se descobrindo que a floresta é dez vezes mais importante do que se imaginava. Tem outros fatores, também: a floresta faz chover. Essa foi uma descoberta fantástica do projeto LBA (Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia). Gotas precisam de alguma coisa sólida para se formarem, é fácil perceber quando se tira uma garrafa de refrigerante da geladeira e formam-se gotinhas em volta. A floresta emite vapores orgânicos para a atmosfera, que funcionam como sementes de nuvens. Mas precisa ser a quantidade certa para chover, se tiver demais não chove. A fumaça das queimadas introduz partículas demais na atmosfera, seca as nuvens e elas não chovem. Durante o período seco, das queimadas, a floresta sempre mantinha uma chuvinha que a deixava úmida e não-inflamável. Agora passam dois meses sem chover. A floresta começa a ficar muito seca e o fogo entra por ela. As árvores da Amazônia, diferente do Cerrado, não têm resistência ao fogo. Um fogo bobo mata todas as árvores que têm raízes rasas, e aquela floresta está condenada. Existem árvores imensas sendo destruídas assim.

Valor: Então é um mito que a Amazônia é muito forte?

Nobre: É forte quando o regime de chuvas está perfeito, mas com fogo, correntão e motosserra fica difícil. Em Tocantins, está dando 40 graus. No Pará e no Norte do Mato Grosso, registramos temperaturas muito altas. Cuiabá é quentíssima. Já está em curso um processo que a gente não sabe se é sem volta e temos que acabar com a hipocrisia que acende esse debate. Não é para parar com o desmate em 2015. Era para parar ontem, zero, nenhuma árvore mais derrubada. Temos que replantar a floresta.

Valor: O sr. faz uma espécie de militância científica?

Nobre: Foi o efeito da floresta no meu espírito. Eu me senti muito frustrado com tudo o que vivenciei na Amazônia. Tive uma fase de militância ambientalista, depois vi que temos que ter pé no chão e não falar só "não pode". Mas, se destruirmos as florestas, vamos estourar o nosso sistema climático. A condição do sistema terrestre hoje é a de já estarmos na UTI com falência múltipla de órgãos. Isso é o aquecimento global. A queima de combustíveis fósseis tem papel importante, mas a destruição dos órgãos de manutenção do clima, florestas e oceanos é o principal fator para o descontrole global. Não adianta todos os carros virarem elétricos se continuarmos a desmatar.

Valor: Quem conhece as coisas da Amazônia?

Nobre: Os povos nativos, intuitivamente. Mas são desrespeitados, não são valorizados. Temos que considerá-los um dia, se quisermos ser uma grande nação. E existe o conhecimento científico disperso em uma enorme variedade de disciplinas. Eu sou um garimpeiro de pérolas, em diferentes áreas. É isso que faço, ligo uma coisa à outra.

Valor: O senhor é otimista sobre a nossa mudança de consciência?

Nobre: Não consigo ver a mudança sem passarmos, infelizmente, por uma catástrofe. Aqui, o crescimento sem controle do agronegócio está danificando o funcionamento hidrológico da América do Sul. Enquanto lá fora se fala em serviços ambientais, aqui é só agronegócio, aço, minério, assuntos do século XX. A gente só chega depois, temos mentalidade de colônia até hoje. Mas o mundo vai depender cada vez mais dos nossos serviços ambientais. O Brasil não é só grãos.

sábado, janeiro 10, 2009

Esse é o absurdo do esporte brasileiro. Só valorizam Olimpíadas, e ainda acham que temos que ser potências no esporte...

segunda-feira, janeiro 05, 2009

Tá frio aqui,
Tá muito poluido,
Eu tô triste, eu tô aborrecido

Tá feio aqui,
Tá muita poluição,
Tá fedido fumaça de caminhão

Eu tô cansado da cidade, eu quero ir pro mato
Tem de tudo lá: porco, galinha, pato
Tem carroça, tem cachorro, tem carro de boi
Correguinho sempre tem

Juvenar, Juvenar, vem tirar o leite
São 6 horas da manhã,
Juvenar, Juvernar,
Juvenar, Juvernar

Karnak, "Juvenar". Nas vozes de Grandjean e Carlão, no meio do mato em Carrancas, fica ainda mais legal!
Um ano-novo pra lavar a alma dos últimos 2. Muita energia vinda diretamente da natureza, como há muito tempo eu não sentia.

Essa foi a 4ª vez que eu vou pra Carrancas, e ainda assim o lugar me surpreende. Conheci as histórias da Estrada Real, que agora está muito mais sinalizada. Já é fruto do trabalho do Instituto Estrada Real, que vem atuando desde 2001.

Além disso, sempre as conhecidas maravilhas gastronômicas, naturais e culturais. Carrancas é uma cidade mágica, como São Thomé já foi um dia. Tomara que continue assim pra sempre.

A galera festejando o ano-novo


Meditando no poço do Coração



Detalhes da 1ª viagem a Carrancas
Detalhes da 2ª viagem a Carrancas

PS: mais fotos no Orkut da Paty.