domingo, maio 31, 2009

E ontem de novo: Washington puxa claramente a camisa do zagueiro cruzeirense para fazer o primeiro gol do São Paulo. Claro que o juiz não viu.



Juro que não entendo a imensa quantidade de gols irregulares do São Paulo, do meio de 2008 pra cá, ou de gols mal anulados de seus adversários. É uma média de 1 por jogo, coisa que eu nunca vi!

segunda-feira, maio 25, 2009

O vídeo abaixo mostra tudo (só fica faltando o close, em que a rasteira fica ainda mais evidente). O juiz, ao lado do lance, claramente não marca por motivos que vão além do esporte. É absolutamente inconcebível que ele não tenha visto o penalti.



Por essas e outras que eu digo: assisto e torço pra futebol apenas por teimosia e vício...

domingo, maio 24, 2009

Em apenas 3 jogos, já começou tudo de novo: em 2 deles o São Paulo não perdeu porque o juiz ajudou.

São, até agora, 2 pontos somados para eles, 2 pontos retirados do Palmeiras e 2 do Atlético-PR, tudo na base do apito amigo. Assim fica fácil ser hexa, hepta, octa.

Hoje foi incrível, o juiz estava do lado do lance, e só ele achou que não foi penalti. Mas eu sei, o erro é meu, que continuo torcendo pra futebol mesmo com tanta picaretagem...

sexta-feira, maio 22, 2009

Dois posts, um de um santista e outro de uma corintiana (!) sobre o Marcos. Dá pra ter uma boa idéia sobre o que ele representa:

O da corintiana:
http://mariliaruiz.blogspot.com/2009/05/as-marcas-de-marcos_17.html

O do santista (Torero):

O verdadeiro Menino Maluquinho

(A partida do goleiro Marcos contra o Sport foi tão brilhante que vou republicar aqui, com modificações, um texto que fiz sobre ele para a Folha, no ano passado).


Jovial leitora e infantil leitor, vós já lestes "O Menino Maluquinho"? Eu já. E algumas vezes. É um delicioso livro escrito em 1980 pelo Ziraldo, um imenso sucesso que já vendeu quase três milhões de exemplares. Ele conta a história de um garoto alegre e sapeca, que fazia as coisas que tinha vontade.

Agora, eu vos pergunto: em que posição jogava o Menino Maluquinho em suas peladas de futebol? E eu vos respondo: goleiro. Nada menos do que dez páginas do livro são gastas para contar a vida de goleiro do Menino Maluquinho, posição em que ninguém quer jogar quando criança, mas que ele abraçou com gosto e graça.

Pois bem, no fim do livro o menino cresce e não sabemos que profissão ele seguiu. Porém, desconfio seriamente que ele seguiu a carreira de goleiro. E mais ainda: desconfio que ele tornou-se Marcos, do Palmeiras. Os sinais são claros. Em primeiro lugar, Marcos nasceu em 1973, ou seja, tinha sete anos quando foi lançado "O Menino Maluquinho", que provavelmente também tinha esta idade.

Outro sinal é que ambos fazem o que lhes dá na telha. Por exemplo, enquanto a maioria dos jogadores venderia a mãe para jogar no exterior, ele decidiu não ir para o Arsenal em 2003. É bem verdade que Marcos chegou até a viajar à Inglaterra para assinar contrato, mas foi a contragosto, e decidiu ficar por aqui: seu pai estava com problemas cardíacos, e a namorada, grávida.

E ele tem o raro costume de ser sincero. Nas entrevistas, enquanto a grande maioria dos jogadores dá entrevistas óbvias, que parecem ditadas por assessores de imprensa, Marcos fala o que realmente lhe vem à cabeça. Foi assim que disse a frase politicamente incorreta:

"Fumo um ou dois cigarrinhos quando tomo uma cerveja".

E, quando o criticaram por fumar, retrucou:

"Isso deu mais polêmica do que o Giba (do vôlei) ter fumado maconha. Acho que vou mudar para maconha".

O menino de Oriente, cidadezinha de 6.000 habitantes, tem língua afiada mas é ainda melhor com as mãos. Os palmeirenses jamais esquecerão dos pênaltis que ele defendeu contra o Cruzeiro pela Mercosul ou das suas partidas contra o Corinthians na Libertadores, quando Marcos parecia uma parede de tijolos construída entre os três paus. E os brasileiros em geral hão de lembrar de suas defesas contra a Turquia ou daquela logo nos primeiros minutos da final da Copa de 2002, quando um alemão deu um chute espetacular de fora da área, e Marcos, com a pontinha da unha, desviou a bola para a trave.

É claro que ele fez jogos terríveis, como na derrota por 7 a 2 para o Vitória, em pleno Parque Antártica, quando falhou em três gols. Mas, mesmo neste momento, em vez de jogar a culpa na defesa, assumiu seus erros e disse: "Ainda bem que o Vitória não chutou mais a gol depois do 7 a 2. Eu nem ia pular mais nas bolas".

Em 2007, Marcos parecia caminhar para a aposentadoria. Era uma contusão atrás da outra e Diego Cavalieri vinha jogando bem. Mas ele se recuperou, mandou o jovem talentoso para a reserva e voltou a ser um dos melhores goleiros do país. Talvez o melhor. E sem deixar de ser simpático e original, pouco se importando com a imagem. "Se me importasse, fazia a barba todos os dias."

E hoje, dia 12 de maio de 2009, ele fez uma partida espetacular. Durante os noventa minutos, Marcos defendeu pelo menos cinco bolas difíceis. E, na hora dos pênaltis, pegou três dos quatro chutes. Três dos quatro!

Há que ser um bocado menino e um bocado maluquinho para continuar sendo um goleiro tão bom aos 35 anos.

quarta-feira, maio 13, 2009

ESSE é o cara!!



"São Marcos", apelido nada exagerado para quem é um dos maiores goleiros da história do Brasil!

segunda-feira, maio 11, 2009

Pode muito bem ser que eu esteja errado (tomara, como já vi que nessa seara quase sempre estou), mas estou sentindo que toda essa coisa de ter uma notícia ridícula de Brasília a cada 2 dias (vôos de deputados pro um lado, briga de Ministros do Supremo do outro, deputado "se lixando" pra cá e pra lá...) tudo isso parece um orquestração com o objetivo de desacreditar ainda mais os poderes. Não que as notícias não seriam verdadeiras, mas a periodicidade com que agora aparecem, e a raiz de algumas delas, me parecem muito estranhas.

Porque vejam: o deputado que "se lixa" é da base do governo; o Ministro que compra briga no meio da sessão do STF é indicado pelo governo Lula; as outras notícias, parece que tem alguém plantando com frequência tão bem ritmada quanto eu, nos bons tempos em que tocava bateria... E nenhuma dessas notícias nunca resvala no Poder Executivo.

Enfim, a sensação que eu tenho é de que pode haver algo premeditado por trás disso, um plano com o objetivo de tornar a situação de tal forma insustentável para os outros Poderes perante a opinião pública, que reste apenas ao Lula atravessar a rua com um molho de chaves e fechar a porta de ambos, para delírio da Fiel, ops, da urbe inflamada. Aliás, quase 100% das pessoas com quem eu converso já têm apoiado isso. Até o Cristovam Buarque já entrou na onda!

Me parece golpe, sim. Golpe moderno, sorrateiro, vagaroso. Não existe mais Socialismo para servir de desculpa a golpes rápidos e mortais. Agora, vai-se assim, de mansinho. Mas estou com medo. Como disse a princípio, tomara que esteja errado.

quarta-feira, maio 06, 2009

BARÇA! BARÇA! BAAAAARÇA!

terça-feira, maio 05, 2009

A que ponto chegou a diferença entre o futebol do Rio e de São Paulo...

sábado, maio 02, 2009

Essa semana começou pra valer o MBA. E, logo na primeira meia hora, já deu que vou ter que me reacostumar com algumas coisas...

Foi incrível, em poucos minutos, já me sentia novamente no Magno!
E Luxemburgo parece que está aprendendo aos poucos como jogar Libertadores. Já não era sem tempo!