quarta-feira, dezembro 22, 2010

Viva o Palmeiras e Santos, octocampeões brasileiros!

O que as pessoas que conhecem a história do futebol já sabiam há tempos, agora é oficalmente reconhecido. Pelé, Ademir da Guia, Tostão, Garrincha, agora as grandes conquistas desses craques não ficará presa à sala de troféus dos clubes, estando sempre viva nas estatísticas dos grandes campeões.

Abaixo, um comentário perfeito (fora o português) de um visitante do blog do Juca Kfouri. Não há como negar a história do futebol brasileiro das décadas de 50 e 60. Nós, torcedores dos grandes clubes da época, sempre soubemos de tudo isso.

Obs: Meus comentários em negrito e itálico

"No momento em que a CBF oficializou a unificação dos Títulos, este é o assunto mais comentado aqui no Blog, para o Juca é bom criar polêmicas, pois rende paginas e mais paginas, e ninguém chega a um denominador comum, não vou mais dar opinião, apenas fazer uma avaliação sobre o tema.
Vejo que a imensa maioria aqui é favoravel a unificação, e quem se diz contra, não encontra argumentos suficientes para debater, Ja os que são favoraveis, assim como eu, sempre temos argumentos para a discussão, portanto proponho que que tiver outros argumentos que apresente, pois os que mais foram colocados aqui, todos já cairam, pois não só eu, como a maioria dos favoraveis, encontrmos argumentos para derrubar as teses.

Tese 1- Sem argumentos.

- NOME, os que são contra dizendo que o nome não era campeonato brasileiro, foi provado que de 1971 em diante o campeonato teve inumeros nomes, portanto; Sem argumentos.

Tese 2 – Sem argumentos.

- NUMEROS DE JOGOS. Os que dizem que eram poucos jogos, inúmeros argumentos foram apresentados, campeonatos estaduais antigamente, Libertadores dos anos 60 e 70, Mundial de 1 jogo só, e o Campeonato de 1979, poderia ter um campeão com apenas 6 jogos. portanto; Sem argumentos.
Acrescento que eram poucos jogos, mas os estaduais serviam de eliminatórias, num esquema parecido com a Copa do Mundo e Mundial de Clubes.

Tese 3- Sem argumentos

- QUALIDADES DOS PARTICIPANTES; Para quem diz, que participou Manufatora, Fonseca , etc, a partir de 1971, participaram Goytacaz, Anapolina, e agora neste atual, até o Prudente participou, portanto; Sem argumentos.

Tese 4- Sem argumentos

- EQUIPARAR COPA DO BRASIL E OUTROS TORNEIOS; Para que diz, já que é para unificar, então unifica todos, errado, Copa do Brasil e outros torneios, não eram o principal, portanto já tinham outros campeonatos de maior importância. Portanto sem argumentos.

Tese 5 – Sem argumentos

- DOIS CAMPEÕES NO MESMO ANO; embora ser mais justo apenas um, também já houve varios regionais com o dois campeõs no mesmo ano, além do mundial de 2000, que tem dois campeões, portanto. Sem argumentos.
Acrescento que a Argentina e quase toda a América do Sul têm 2 campeões nacionais todo ano. Não pode ser um empecilho; se há 2 campeonatos do mesmo nível, sem clara predominância de um sobre outro, temos 2 campeões.

Tese 6 – Sem argumentos.

- VERGONHA; Vergonha alguém ser declarado campeão do principal campeonato de um pais em determinada época ? absurdo isto ser vergonha, portanto. Sem argumentos.
Acrescento que não tenho nem um pouco de vergonha, e sim muito orgulho da força do Palmeiras na década de 60 (como os são-paulinos têm orgulho do desempenho do time deles nesta década), e que está sendo finalmente reconhecida. Se há algum palmeirense ou santista envergonhado, é porque não conhece muito sobre a história do futebol.

Tese 7- RICARDO TEIXEIRA FAZER FAVORES EM TROCA DE APOIO. Se apenas 5 times foram beneficiados, e de 1971 em diante já tivemos 17 campeões, portanto 12 times acabaram sendo prejudicados, qual foi a vantagem que a CBF teve em proclamar estes times campeões ?portanto. Sem argumentos.
Acrescento que, mesmo se as intenções forem ruins, isso não altera o mérito da questão, que é resgatar a fase de ouro do futebol brasileiro. Só aqui os campeões antigos não eram reconhecidos, enquanto que nos outros países são contados os campeões desde o século XIX.

Acrescento ainda um outro argumento que não faz sentido: o que diz ironicamente que agora a Portuguesa pode se considerar bicampeã por ter vencido o Rio-São Paulo 2 vezes. O Rio-São Paulo, apesar de muito importante na época, não permitia participação de muitos dos gigantes do futebol brasileiro já naquela época, portanto não pode ser considerado um torneio nacional.

Estes foram as desculpas mais colocadas pelos que são contra, todas devidamente debatidas, e sem respostas dos que levantaram , estas teorias, portanto se tiver alguém com outro argumento, podemos discutir.
Mas o que eu mais vejo aqui, é falta de informação mesmo, portanto para podermos argumentar, pelo menos tentem antes informar-se, para depois podermos debater.
Não quero convencer ninguém, mas até aqui, vejo que a maioria absoluta dos contra, são por pura teimosia clubística, e não por motivos óbvios.

- Obs; Sou Gremista, e não ganhei nada com a Unificação."

terça-feira, dezembro 21, 2010

Achado sensacional da Lili. Paul McCartney, doidão, invade um show de Neil Young no Hyde Park (Londres) pra cantar A Day in the Life. Isso faz só 1 ano e meio! Simplesmente sensacional.

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Aos são-paulinos desinformados: o torneio Roberto Gomes Pedrosa era considerado o Brasileiro na década de 60, tinha bem mais do que 4 jogos (ao contrário da Taça Brasil, esse sim um torneio bem tosquinho), regulamento idêntico ao Brasileiro de 1971 e todos os times grandes do Brasil (não apenas do Rio e de São Paulo).

Estudem um pouco de história e aprendam que o futebol brasileiro não nasceu em 1971 (ao contrário do que reza a mentira em que vocês acreditaram até hoje).

Parabéns pelo aniversário.

quarta-feira, dezembro 01, 2010